top of page

Entenda como acne pode ser 'porta de entrada' para superbactéria citada como causa da morte de jovem



Acnes ou outros ferimentos na pele podem ser a porta de entrada para infecções pela Staphylococcus aureus, uma das muitas bactérias presentes na pele humana, mas perigosa apenas quando cai na corrente sanguínea. O microrganismo pode ter causado a morte de uma jovem de 18 anos em Santa Catarina.


A Staphylococcus aureus faz parte da família dos estafilococos, um tipo de bactéria encontrado na superfície de pele de cerca de 20% das pessoas e no nariz de 30% dos adultos - o que é considerado normal. Dentre as espécies de estafilococos, é a aureus que mais possui propriedades capazes de induzir o aparecimento de doenças. Geralmente, as pessoas são portadoras: possuem a bactéria, mas nenhum sintoma causado por ela. Mas, ao entrar no corpo humano, pode gerar uma possível infecção na pele e até em outros órgãos.

Um dos caminhos para isso é justamente através de acnes, principalmente quando são espremidas. "Infecções por espinhas são comuns já que elas estão presentes na pele, o que podem ser a porta de entrada através do ato de espremer a espinha e criar uma ruptura de tecido", afirmou Gabriela Castro, mestre em Pesquisa Clínica pelo Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas e microbiologista no laboratório Richet Medicina e Diagnóstico. "Assim, a bactéria entra em contato com a mucosa e alcança corrente sanguínea podendo atingir diversos órgãos", disse a microbiologista.

⚠️ Na corrente sanguínea, a superbactéria pode causar infecções na pele na forma de espinhas e furúnculos, infecções no coração (endocardite), nos ossos (osteomielite) e nos pulmões (pneumonia). Também é possível uma infecção generalizada, o que pode levar o paciente à morte.

"A Staphylococcus aureus é potencialmente grave porque apresenta a produção de toxinas que podem gerar uma série de sintomas graves no organismo, como o desenvolvimento da síndrome do choque tóxico com reações graves e progressivas como febre, erupção cutânea, baixa pressão arterial e insuficiência de vários órgãos", explicou Gabriela Castro. O contágio também pode acontecer pelo contato direto através de objetos e alimentos contaminados ou, mais raramente, através da inalação de partículas em suspensão no ar. Infecção pode ser rápida Os estafilococos têm um grande “poder de invasão". Por isso, infecções por esse tipo de bactéria estão entre as que evoluem mais rapidamente – assim como aquelas provocadas pelos meningococos, que causam meningite.

  • Para impedir uma contaminação mais agressiva, é preciso estar atento aos sintomas: febre, mal-estar, dores no corpo, cansaço excessivo e vômitos.

  • O diagnóstico ainda nas primeiras 24 horas é decisivo, inclusive para uma eventual confirmação da presença do Staphylococcus aureus.

Tratamento É feito com antibióticos, porém a Staphylococcus aureus possui muitas cepas. Algumas são sensíveis a esses medicamentos, outras podem ser resistentes - essas presentes principalmente em ambientes hospitalares. Para cada uma, há um antibiótico específico.

"Os antibióticos devem ser previamente testados para garantir a sensibilidade do fármaco frente a bactéria testada", afirmou a microbiologista Gabriela Castro. Prevenção O cuidado com a higiene é essencial para prevenir infecções pela Staphylococcus aureus.

  • A dica é lavar as mãos e o local da lesão na pele (como a acne espremida) com água e sabão.

  • Especialistas também recomendam não espremer espinhas e manter feridas limpas.


Fonte: G1

7 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page