Duas taças de vinho podem atingir limite diário de açúcar, diz pesquisa


 
 

Uma análise de mais de 30 garrafas de vinho mostrou que duas taças podem ser suficientes para atingir o limite diário de açúcar recomendado para adultos.


A pesquisa, encomendada pela Alcohol Health Alliance UK, constatou que algumas garrafas continham até 59g de açúcar — mais do que um donut com cobertura de glacê.

Um laboratório independente analisou garrafas de vinho tinto, branco, rosé, frutado e espumante de marcas populares do Reino Unido.

Nenhuma das garrafas continha informações nutricionais nos rótulos, uma vez que atualmente não é exigido por lei no país. O teor calórico estava indicado apenas em um quinto das garrafas analisadas pelo laboratório. Ativistas estão fazendo um apelo por mudanças, para informar melhor os consumidores de vinho sobre quantas calorias e quanto açúcar eles estão ingerindo.

O sistema público de saúde do Reino Unido (NHS, na sigla em inglês) recomenda que os adultos consumam no máximo 30g de "açúcar livre" por dia, o que inclui o açúcar presente em sucos de frutas ou o açúcar adicionado a alimentos ou bebidas.

A análise mostra que é possível atingir o limite diário de açúcar de um adulto tomando duas taças médias de alguns vinhos.

O estudo também descobriu que os vinhos mais fracos estavam entre os que continham mais açúcar, o que significa que não eram necessariamente uma escolha saudável, apesar do menor teor alcoólico. No Reino Unido, é exigido que as bebidas alcoólicas exibam seu volume e intensidade em unidades de álcool por volume (ABV, na sigla em inglês).

O rótulo também precisa identificar quaisquer alérgenos comuns, mas não há nenhuma exigência em relação aos ingredientes, advertências relativas à saúde ou valor nutricional, como encontrado em muitos outros alimentos e bebidas.

Uma pesquisa do instituto britânico YouGov, realizada no ano passado com mais de 12 mil pessoas, mostrou que 61% queriam informações sobre calorias nos rótulos dos vinhos — e mais de 50% dos entrevistados gostariam de ver a quantidade de açúcar listada.

Em 2020, o governo do Reino Unido realizou uma consulta sobre se as calorias deveriam ser indicadas em bebidas alcoólicas — mas não houve uma consulta sobre se o teor de açúcar deveria ser apresentado.

O professor Sir Ian Gilmore, presidente da Alcohol Health Alliance UK, classificou as regras atuais como "absurdas". "Os consumidores que compram leite ou suco de laranja têm o teor de açúcar e informações nutricionais na palma da mão", diz ele. "Mas esta informação não é exigida quando se trata de álcool — um produto que não apenas alimenta a obesidade, mas danos generalizados à saúde, e está ligado a sete tipos de câncer". Miles Beale, que lidera a Wine and Spirit Trade Association, afirma que os membros do grupo querem que as pessoas tenham acesso a informações nutricionais para todas as bebidas alcoólicas, mas sugere que sejam disponibilizadas online.

"Temos pressionado para que mais informações sejam fornecidas online", diz Beale. "A indústria do álcool pode fornecer aos consumidores uma variedade muito maior de informações que são mais relevantes para os consumidores e que não caberiam em um rótulo", acrescenta.

"Há uma variação significativa no número de calorias em diferentes bebidas alcoólicas e em diferentes doses de bebidas. Online é a melhor maneira de fornecer o volume e a variedade de informações que os consumidores precisam para tomar decisões informadas de forma rápida e fácil."


"Também custaria menos fornecer isso."


Fonte: G1

2 visualizações0 comentário