top of page

Do câncer de próstata ao xixi sentado: urologistas respondem as principais dúvidas dos homens



Um levantamento da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), com base em dados do Ministério da Saúde, mostrou que jovens do sexo masculino entre 16 e 19 anos buscam três vezes menos o urologista na rede pública em comparação com a frequência com que garotas da mesma idade recorrem ao ginecologista.


O cenário reforça a impressão disseminada de que homens cuidam menos da saúde, um fato que ajudaria a explicar por que a expectativa de vida para mulheres é cerca de sete anos superior à do sexo masculino, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE): para os homens, a expectativa é de 72 anos, e para as mulheres, de 79 anos.


A convite do GLOBO, os médicos Alfredo Canalini, presidente da Sociedade Brasileira de Urologia, e Carlo Passeroti, coordenador do Centro Especializado em Urologia do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, responderam algumas das principais dúvidas sobre a saúde dos homens.


Preciso ir ao urologista só depois dos 40 anos?


O acompanhamento urológico começa logo após o nascimento, quando o pediatra verifica, ainda na sala de parto, se os testículos estão localizados corretamente na bolsa escrotal, uma estrutura fora do abdômen. Mas as consultas de rotina ao longo da vida são negligenciadas por muitos homens e, consequentemente, por meninos.


De acordo com a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), o ideal é que a primeira ida ao urologista aconteça por volta dos 10 a 12 anos, ou seja, no início da puberdade. Mesmo que o paciente não tenha começado a vida sexual, o especialista já é capaz de avaliar se está tudo certo com o desenvolvimento dos órgãos genitais.


Só idosos desenvolvem câncer de próstata?


Apesar de menor incidência, há casos da doença diagnosticada em pacientes com menos de 40 anos. Histórico de câncer de próstata entre familiares, sedentarismo e obesidade são alguns dos fatores de risco.


Se um homem tem um parente de primeiro grau (pai ou irmão) com câncer de próstata, suas chances de ter a doença duplicam. Dois familiares de primeiro grau com câncer de próstata aumentam esse risco em cinco vezes. No entanto, nem todo mundo que tem um histórico familiar terá a doença. Mesmo assim, se existe um histórico de câncer de próstata em sua família, converse com o seu médico sobre a periodicidade dos exames necessários.


O exame PSA sozinho é capaz de verificar se há doença na próstata?


Os exames de antígeno prostático específico (PSA) medem os níveis desse antígeno na próstata, não o câncer. O PSA é produzido pela próstata em resposta a uma série de alterações que possam estar presentes na próstata, incluindo uma infecção ou inflamação (prostatite), o aumento de tamanho da próstata (hiperplasia benigna da próstata) ou, possivelmente, o câncer.


Ele é útil para a detecção da doença em estágios iniciais, quando é possível ser tratada. Isso não significa que ele, sozinho, é capaz de identificar um tumor. Utilizado para avaliar se o PSA está normal ou elevado, o teste é complementar ao exame de toque. Os especialistas recomendam que ambas as análises sejam feitos anualmente.


Homens têm menopausa?


Assim como a mulher entra na menopausa quando atinge o fim do seu ciclo reprodutivo, os homens passam por uma situação parecida na meia idade. O período, que ganhou o nome popular de andropausa, é marcado pela redução nos níveis de testosterona, o principal hormônio masculino. Na maioria dos casos, o declínio na produção desse hormônio começa a ocorrer por volta dos 40 anos e causa efeitos em todo o corpo.


Também chamada de deficiência androgênica do envelhecimento masculino (DAEM), a redução nos níveis de testosterona vem acompanhada de uma série de sintomas. Entre os sinais estão alterações na função sexual. Outros sinais podem ser a diminuição no tamanho dos testículos e mudanças físicas como aumento da gordura corporal, redução da massa e da força muscular.


Assim como mudanças emocionais — diminuição da motivação ou autoconfiança e, com isso, tristeza e problemas de concentração e de memória — e alteração no padrão de sono (insônia ou sonolência).


É melhor fazer xixi em pé ou sentado?


Quando sentamos, os músculos da pélvis e da coluna ficam completamente relaxados, facilitando a micção, ao contrário do que acontece quando estamos em pé. Sentar para urinar pode ser mais benéfico para os homens à medida que envelhecem, devido a uma condição conhecida como hiperplasia prostática benigna (BPH), que é o aumento da glândula e afeta a grande maioria dos homens ao longo do tempo.


Outro indicativo para homens urinarem sentado são em casos de pós-operatório, quando o paciente tem algum problema no jato de urina, na bexiga ou nos rins, para evitar desconfortos e agravamento no caso.


O câncer de testículo é mais comum em jovens?


Embora seja uma ocorrência pouco frequente quando consideradas todas as faixas etárias, o câncer testicular é mais comum entre os jovens. Todo ano, há o registro de 32 mil novos casos em pessoas com idades entre 15 e 34 anos em todo o mundo.


Um dos indícios desse câncer é a presença de inchaço ou nódulo na região afetada. No entanto, apenas a avaliação de um especialista, juntamente com a realização de exames apropriados, pode determinar se tal alteração é, de fato, um tumor.


Sexo sem camisinha pode causar câncer de pênis?


De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), o uso do preservativo é indispensável para prevenir ISTs — infecções sexualmente transmissíveis —, como o vírus HPV, apontado por estudos como uma das possíveis causas de câncer de pênis no país.


Quando se trata de tumores urológicos, o HPV emerge como um dos fatores de risco mais influentes para o desenvolvimento do câncer de pênis. Portanto, é de extrema importância que os meninos também recebam a vacinação contra esse vírus. A imunização é recomendada para aqueles com idades entre 9 e 14 anos. Na rede privada, o imunizante contra HPV está disponível para homens até 45 anos.


A má higiene do órgão também pode ser um dos fatores para o diagnóstico positivo da doença.


Homens podem ter câncer de mama?


No Brasil, cerca de 500 casos de câncer de mama em homens são diagnosticados anualmente, a maioria ocorrendo entre os 65 e 70 anos. Assim como nas mulheres, a taxa de cura ultrapassa os 90% quando a doença é identificada nos estágios iniciais.


Apesar de não haver um indicativo de fazer exames de mamografia frequentemente como forma de rastreamento, assim como as mulheres, é crucial estar atento aos sinais, que podem justificar a realização de mamografia e/ou exames adicionais. Esses sinais incluem retração (achatamento), inversão (quando o mamilo se volta para dentro) ou secreção (liberação de fluido) no mamilo, bem como vermelhidão ou descamação tanto no mamilo quanto na pele da mama.

Fonte: O Globo

2 visualizações0 comentário

תגובות


bottom of page