top of page

Dia Mundial do Doador de Sangue: aniversariante aproveita celebração para reunir amigos em doação



Todos os anos, um morador de Bauru (SP) aproveita o aniversário, celebrado no dia 4 de junho, para convidar os amigos para doar sangue. A ação solidária e coletiva serve como uma forma de promover a conscientização sobre a importância do ato.


O coordenador de planejamento de cobrança, Luiz Felipe Viaro Medice, de 30 anos, contou ao g1 que a ideia começou em 2020, quando ele estava prestes a completar 28 anos. Na ocasião, Luiz queria reunir um número de pessoas mais próximo da idade que estava para fazer para doar sangue junto com ele. O que começou com uma ideia se tornou a meta de cada ano para Luiz, que, em todo aniversário, tenta aumentar o número de amigos doadores que o acompanham.

"Comecei a ser doador ativo no final de 2017 e sempre vou a cada dois ou três meses para doar. Em 2020, com a situação de pandemia, eu sabia que não poderia fazer uma festa, e então me veio essa ideia de tentar fazer a ação. Em 2020 foi a primeira vez, foram 25 pessoas que doaram comigo", relembra. No começo, o doador lembra que ficou com dúvida se a iniciativa daria certo porque nunca havia feito nada parecido. Por isso, Luiz começou a divulgar informações sobre a doação e também sobre a importância do ato nas redes sociais. O resultado, segundo ele, foi melhor que o esperado. "Foi muito bacana, vários amigos foram doar, pessoas de fora de Bauru doaram em suas respectivas cidades, pessoas do meu trabalho e amigos de amigos que eu nem conhecia foram e fizeram postagens mencionando a causa." Neste ano, Luiz foi acompanhado, mais uma vez, de alguns amigos que se reuniram tanto na quarta-feira (1º) quanto na sexta-feira (3) para doar sangue no hemonúcleo do Hospital de Base, em Bauru. Por ter atrasado a divulgação, Luiz explicou que não atraiu tantas pessoas quanto gostaria, mas que mantém firme a ideia de carregar a ação todos os anos. "Para mim é muito importante a doação, as enfermeiras do hemonúcleo sempre falam que com uma doação podemos salvar até três vidas. E, infelizmente, sangue não dá para fazer em laboratório. Então depende muito da solidariedade do ser humano em fazer doação, pois sempre tem alguém precisando", pontuou. O processo, de acordo com Luiz, dura em torno de 30 minutos.

"O intuito é mostrar para os meus amigos que, com pouco, conseguimos ajudar quem precisa.

Às vezes a gente quer mudar o mundo, mas não damos o primeiro passo porque achamos que temos que fazer algo grande, e nos esquecemos de que coisas simples também ajudam e muito", finalizou. Dia Mundial do Doador de Sangue 14 de junho é conhecido como o Dia Mundial do Doador de Sangue. Por isso, o mês todo é dedicado a conscientizar e incentivar a população sobre a importância de ser um doador, é o chamado Junho Vermelho. Devido aos períodos de outono e inverno, épocas em que há um aumento das infecções respiratórias, as doações ficam em baixa.

A doação é o processo pelo qual um doador voluntário tem seu sangue coletado e armazenado em um banco de sangue ou hemocentro, para uso subsequente em transfusões de sangue.

A quantidade retirada não afeta a saúde do doador, pois a recuperação ocorre imediatamente após a doação. Uma pessoa adulta tem, em média, cinco litros de sangue e, em uma doação, são coletados no máximo 450 ml.

Em Bauru, em comemoração a data o Hemonúcleo do Hospital de Base realiza o Arraial do Bem, aproveitando o clima das festas juninas para incentivar a doação de sangue. Pré-requisitos para ser doador de sangue

  • Levar documento de identidade com foto e órgão expedidor;

  • Estar em boas condições de saúde;

  • Ter entre 16 e 69 anos de idade (de 16 a 17 anos com autorização do responsável legal);

  • Idade até 60 anos, se for a primeira doação;

  • Intervalo entre doações de sangue de 90 dias para mulheres e 60 dias para homens;

  • Pesar mais do que 50 quilos;

  • Não estar em jejum;

  • Após o almoço ou jantar, aguardar pelo menos três horas;

  • Não ter feito uso de bebida alcoólica nas últimas 12 horas;

  • Não ter tido parto ou aborto há menos de três meses;

  • Não estar grávida ou amamentando;

  • Não ter feito tatuagem ou maquiagem definitiva há menos de 12 meses;

  • Não ter piercing em cavidade oral ou região genital;

  • Não ter feito endoscopia ou colonoscopia há menos de seis meses;

  • Não ter tido febre, infecção bacteriana ou gripe há menos de 15 dias;

  • Não ter fator de risco ou histórico de doenças infecciosas, transmissíveis por transfusão (hepatite após 11 anos, hepatite B ou C, doença de chagas, sífilis, Aids, HIV, HTLV I/II);

  • Não ter visitado área endêmica de malária há menos de um ano;

  • Não ter tido malária;

  • Não ter diabetes em uso de insulina ou epilepsia em tratamento;

  • Não ter feito uso de medicamentos anti-inflamatórios há menos de três dias (se a doação for de plaquetas).


Fonte: G1

5 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page