top of page

Depressão: novo estudo aponta os 4 exercícios mais eficazes para aliviar os sintomas



A prática regular de atividade física já é um aliado comprovado no tratamento de doenças mentais, como depressão. Mas agora, um novo estudo revelou quais são os exercícios mais eficazes para aliviar os sintomas da condição. São eles: dança, corrida, HIIT e treino de força.


De acordo com um estudo publicado recentemente no periódico científico The BMJ, essas parecem ser as atividades físicas mais eficazes para aliviar a depressão, quer isoladamente, quer juntamente com tratamentos estabelecidos, como psicoterapia e medicamentos.


Exercícios mais leves como ioga e caminhada também se mostraram benéficos, mas quanto mais vigorosa for a atividade, maiores serão os benefícios.


A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que mais de 300 milhões de pessoas em todo o mundo sofrem de depressão. O exercício é frequentemente recomendado juntamente com a psicoterapia e os medicamentos, mas as diretrizes de tratamento e as revisões de evidências anteriores discordam sobre a melhor forma de prescrever exercícios para tratar a depressão.


Então, pesquisadores australianos analisaram mais de 200 estudos envolvendo quase 15 mil participantes para determinar como diferentes tipos de exercícios melhoravam a saúde mental.


Os resultados mostraram grandes reduções na depressão para dança e reduções moderadas para caminhada ou corrida, ioga, treinamento de força, exercícios aeróbicos mistos e tai chi ou qigong. Caminhar ou correr se mostraram eficazes para homens e mulheres, já o treino de força foi mais eficaz para as mulheres, e a ioga ou o qigong foram mais eficazes para os homens.


A ioga também foi mais eficaz entre os adultos mais velhos, enquanto o treino de força foi mais eficaz entre os mais jovens. Também foram encontrados efeitos moderados e clinicamente significativos quando o exercício foi combinado com medicamentos ou o exercício aeróbico foi combinado com psicoterapia, sugerindo que o exercício poderia proporcionar benefícios adicionais juntamente com estes tratamentos estabelecidos.


Embora a atividade física leve, como caminhada e ioga, ainda proporcione efeitos clinicamente significativos, os benefícios foram maiores para exercícios vigorosos, como corrida e treinamento intervalado.


“Nossas descobertas apoiam a inclusão do exercício como parte das diretrizes de prática clínica para a depressão, particularmente exercícios de intensidade vigorosa”, afirmam os pesquisadores.


Um dos motivos por trás desse efeito pode ser o fato de o exercício intenso produzir níveis mais elevados de endorfinas, hormônios do bem-estar que reduzem a dor e demonstraram aliviar os sintomas da depressão.


O exercício pareceu igualmente eficaz para pessoas com e sem outras condições de saúde e com diferentes níveis iniciais de depressão. Os efeitos também foram semelhantes para exercícios individuais e em grupo.


Embora os pesquisadores alertem que o estudo tem limitações e são necessários mais trabalhos para entender melhor de todos os benefícios, eles acreditam que "os sistemas de saúde podem querer fornecer estes tratamentos como alternativas ou adjuvantes a outras intervenções estabelecidas, ao mesmo tempo que atenuam os riscos para a saúde física associados à depressão”.


Fonte: O Globo

6 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page