Crianças em atendimento oncológico gravam vídeos de apoio à profissionais da saúde





“Olá pessoal! Meu nome é Isadora e eu agradeço a todos vocês que estão cuidando daqueles que estão doentes do coronavírus. Eu peço a Jesus que cure aqueles que estão doentes e que proteja vocês. Beijos!”, essa foi a mensagem gravada pela Isadora Freitas, de apenas oito anos. Ela é uma das 900 crianças e adolescentes em atendimento no Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo, gerenciado pela Pró-Saúde em Belém (PA).


A unidade, que pertence ao governo do Estado do Pará e presta atendimento 100% gratuito, referência em oncologia pediátrica no norte do país, iniciou uma campanha entre seus pacientes mirins, para apoiar e agradecer os profissionais da saúde que estão na linha de frente no atendimento aos pacientes internados por conta da Covid-19. “Obrigado titios da saúde. Amo vocês!”, disse o pequeno Theo Dutra, de apenas dois anos, atendido no Oncológico Infantil desde 2018.


Desde o início de março, o hospital está realizando diversas ações de orientação e conscientização sobre o coronavírus, com colaboradores, pacientes, acompanhantes e familiares. Isso porque, para crianças e adolescentes em tratamento contra o câncer, a Covid-19 se torna mais perigosa, uma vez que o sistema de defesa do organismo de pacientes oncológicos acaba ficando mais frágil em função das quimioterapias.


“Todas as ações realizadas recentemente pela unidade têm como foco evitar o contágio e a disseminação da Covid-19 entre os nossos pequenos pacientes em tratamento contra o câncer. São crianças imunodeprimidas e, por isso, com maior risco de complicações”, explica Alba Muniz, diretora Hospitalar do Oncológico Infantil.


Alexya Valentina Cardoso, de dois anos, lembrou sobre a necessidade de isolamento social neste momento de pandemia. “Estamos em casa por vocês. Heróis da Saúde”, disse a pequena. Recentemente, profissionais de unidades de saúde em todos os cantos do mundo, inclusive no Oncológico Infantil, publicaram imagens em redes sociais, estimulando o isolamento social da população, enquanto os profissionais da saúde trabalham para garantir atendimento aos que foram acometidos pela doença.


“Por estarem mais suscetíveis a infecções, a estratégia de quarentena e isolamento social, para diminuir o número de novos casos da doença, se torna mais importante para que essas crianças e jovens não fiquem exposto ao vírus transmitido por pessoas possivelmente infectadas, porém assintomáticas”, reitera a diretora Alba.


Mesmo tão jovens, os pacientes da unidade demonstram muita consciência sobre o assunto. Ariane Correa, de oito anos, também deixou sua mensagem: “Queria agradecer a todos os profissionais da saúde que estão lá por quem mais precisa, dentro dos hospitais. Um beijo galera da saúde”.


Em meio à uma batalha contra um tipo raro de câncer de fígado, Anderson Candeira, de três anos, faz questão de lembrar dos profissionais da saúde em suas orações. “Estou orando por vocês, heróis da saúde”, disse o pequeno.


Fonte: Hospitais Brasil

2 visualizações0 comentário