Crianças com comorbidade deverão ter laudo médico para vacinar no DF


Crianças de 5 a 11 anos com comorbidade deverão apresentar laudo que comprove a condição clínica na hora se vacinar contra a Covid-19 no Distrito Federal. A informação foi dada pela Secretaria de Saúde em coletiva de imprensa, na tarde desta quinta-feira (13/1).


No momento da vacinação, toda criança acompanhada da mãe, pai ou responsável, deverá apresentar documento de identidade e/ou caderneta de vacinação. Haverá em cada região de saúde um médico para retaguarda na ocorrência de Evento Adverso Pós-Vacinação (EAPV) Grave.


Ao ser questionado sobre a necessidade de laudo médico para crianças com outras condições, como síndrome de Down, o secretário de Saúde, general Manoel Pafiadache, disse apenas que é preciso “usar o bom senso”.


Vacinação de crianças começa domingo (16/1)

O Distrito Federal dará início, no próximo domingo (16/1), à campanha de vacinação contra a Covid-19 de crianças com 16,3 mil doses da vacina Pfizer. Serão 11 pontos exclusivos para imunização pediátrica, que funcionarão das 8h às 17h.


De acordo com a Secretaria de Saúde, o DF espera receber um total de 56.234 doses pediátricas em janeiro. No próximo mês, devem chegar à capital mais 94.536 doses. E, em março, são esperadas mais 109.434 doses da vacina para crianças.

Veja o cronograma de janeiro:

  • 1ª Entrega: 14/01/2022: 16.300 doses

  • 2ª Entrega: 20/01/2022: 23.634 doses

  • 3ª Entrega: 27/01/2022: 16.300 doses

Locais de vacinação

Podem se vacinar crianças de 5 a 11 anos com comorbidades, deficiência permanente ou sob a tutela do Estado; e crianças sem comorbidades com 11 anos completos. Para esses públicos, serão 10 mil doses disponíveis em 11 pontos fixos.


As outras 6,3 mil doses vão para a campanha itinerante, que atenderá crianças portadoras de deficiência permanente com dificuldade de locomoção, crianças institucionalizadas e crianças vinculadas à instituições sociais e/ou de saúde. As equipes de Saúde da Família (eSF) se deslocarão para as instituições e para casas dos pequenos que tiverem dificuldade de locomoção, a partir de segunda-feira (17/1).


No entanto, a Secretaria de Saúde ainda não informou de que forma ocorrerá o serviço móvel. A reportagem questionou a pasta sobre o assunto e aguardava resposta até a publicação deste conteúdo. O espaço segue aberto para o esclarecimento.


Fonte: Metrópoles


0 visualização0 comentário