Covid: raio-x mostra diferença no pulmão de imunizados e não vacinados


 
 

Um dos principais motivos para tomar a vacina contra o coronavírus é que, caso aconteça a infecção, o quadro clínico do paciente com Covid-19 não se agrave nem demande tratamento intensivo. Como prova da eficácia do fármaco, um radiologista da Escola de Medicina da Universidade de Maryland, nos Estados Unidos, divulgou duas radiografias de tórax que revelam grandes diferenças no pulmão entre pacientes vacinados contra a Covid-19 e os que não se imunizaram.


Nas imagens de tomografia computadorizada, é possível observar um impacto chocante do vírus nos órgãos internos das pessoas não vacinadas, em comparação aos que receberam o imunizante.


O exame do indivíduo imunizado mostra mais áreas pretas nos pulmões, sinalizando maior presença de ar e bom funcionamento, mesmo infectado. Já o exame do paciente sem nenhuma dose tem áreas mais claras, mostrando bloqueios no órgão e limitação no fluxo de oxigênio.


DivulgaçãoOs pacientes vacinados têm uma parte maior dos pulmões coloridos em preto, o que significa que há pouco ou nenhum dano

“A carga da doença ou da infecção é muito mais expressiva em um indivíduo não vacinado do que em um vacinado”, afirma Awan ao The Sun.

De acordo com o especialista, as radiografias apresentadas provam quão eficazes são os fármacos administrados, e que as imagens podem ser mais convincentes do que as estatísticas sobre os danos do coronavírus. Além disso, o profissional reforça as evidências de que os sintomas de uma pessoa vacinada são mais leves do que os de pacientes não imunizados.

“Aqueles que não são vacinados têm mais chances de sofrer falta de ar total e precisar ser entubados. Sendo assim, há uma maior propensão a irem para a UTI”, pontua.

O médico espera que as imagens mudem a opinião dos não vacinados. No Brasil, de acordo com o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, a maioria das hospitalizações por Covid-19 é de pessoas que não tomaram o imunizante contra a doença.


Outros estudos


Em outubro de 2021, o Centro Médico Deer Valley, nos Estados Unidos, compartilhou exames semelhantes mostrando o impacto do vírus nos pulmões de pacientes com Covid-19 imunizados e não vacinados.


“As únicas pessoas que estão realmente adoecendo são as que recusam a vacinação”, declara Sam Durrani, chefe de equipe do Deer Valley Medical Center.

Segundo o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos, pessoas não vacinadas têm 11 vezes mais chance de morrer de Covid-19 do que aqueles que receberam a injeção. A agência diz ainda que menos de 1% dos imunizados que são contaminados acaba falecendo em decorrência da infecção.


Fonte: Metrópoles

22 visualizações0 comentário