top of page

Covid: CFM lança questionário para ouvir médicos sobre vacinação de crianças; SBIm critica iniciativa



O Conselho Federal de Medicina (CFM) iniciou nesta semana uma pesquisa para avaliar a opinião dos médicos brasileiros sobre a obrigatoriedade da vacinação contra a Covid-19 em crianças de 6 meses a 4 anos e 11 meses.


Segundo a entidade, a enquete, conduzida através do seu site, busca "compreender o posicionamento da classe médica" sobre a imunização desse público.


No questionário, o CFM pergunta aos médicos se a aplicação do imunizante deveria ser obrigatória e se o profissional já atendeu crianças com diagnóstico ou complicações decorrentes da doença.


O texto ainda questiona se os pais e responsáveis "têm o direito de não optar pela imunização das crianças".



Ao anunciar a medida, o Ministério da Saúde afirmou inclusive que a imunização é "a principal medida de combate ao vírus".


Em nota, a Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) expressou preocupação em relação à iniciativa do CFM.


Segundo a entidade, equiparar "crenças pessoais à ciência, como proposto pela pesquisa do CFM, pode gerar insegurança" na comunidade médica e afastar a população das salas de vacinação.


"Nós consideramos que não faz sentido o Conselho Federal de Medicina fazer uma pesquisa sobre a opinião médica de algo que já foi discutido pela Câmara Técnica de Assessoramento em Imunização da Covid-19", ressaltou ao g1 Mônica Levi, presidente da SBIm.

A referida câmara técnica foi criada pelo Ministério da Saúde em 2021 para avaliar os aspectos técnicos e científicos necessários à adoção de medidas para o enfrentamento da doença.


"Essa pesquisa somente vai gerar dúvidas em segurança, tanto dos profissionais da área da saúde, que estão respondendo uma pesquisa, ou que recebem essa pesquisa, como também da população", acrescentou Levi.


Em nota, a SBIm destaca ainda que a vacinação contra a Covid-19 em crianças é uma medida eficaz e segura, respaldada por estudos científicos e pela experiência internacional.


Além disso, a entidade ressalta que decisões sobre a inclusão de vacinas no calendário são atribuições técnicas do Programa Nacional de Imunizações (PNI), baseadas em evidências científicas sólidas.


O g1 questionou o CFM para saber a posição do órgão após a nota da SBIm. Até a última atualização desta reportagem, no entanto, a entidade não havia se manifestado.


Em 2023, a Covid-19 resultou em 5.310 casos de síndrome respiratória aguda grave (SRAG) e 135 óbitos entre crianças menores de 5 anos no Brasil, conforme informações do último boletim epidemiológico mais recente do Ministério da Saúde, abrangendo dados até novembro.


Fonte: G1

2 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page