Coronavac: número 2 da Saúde diz que “Não pode comprar o que não existe”



O secretário-executivo do Ministério da Saúde, Elcio Franco, afirmou, nesta sexta-feira (9/10), que as negociações para adquirir a Coronavac estão no mesmo estágio que o de outras 8 candidatas à vacina, cujo desenvolvimento é monitorado pelo governo federal.


Na prática, o número 2 da Saúde descartou que a vacina chinesa – que é a aposta do governador de São Paulo, João Doria (PSDB) – tenha alguma preferência em relação às tratativas que serão feitas com outros laboratórios para garantir a vacinação da população brasileira contra a Covid-19.


“Não posso comprar o que não existe”, afirmou Franco, lembrando que o acordo fechado com a AstraZeneca – que desenvolve a vacina de Oxford – é de encomenda tecnológica e, no caso do Covax Facility, consórcio capitaneado pela Organização Mundial de Saúde (OMS), o Brasil fez uma adesão à iniciativa internacional.


A Coronavac está sendo testada no Brasil em 13 mil voluntários – entre eles, 850 do DF – e o governo paulista já negociou com a Sinovac, farmacêutica responsável pelo desenvolvimento da fórmula, a transferência de tecnologia para que a imunização seja fabricada pelo Instituto Butantan.


O executivo paulista pleiteia investimentos de R$ 2,5 bilhões para a Coronavac – mesmo montante que foi separado pelo governo federal para a vacina de Oxford.


Fonte: Metrópoles

8 visualizações0 comentário

© 2020 Portal Saúde Agora. Tudo sobre SAÚDE em um só lugar!

  • Instagram