Conheça a vacina Janssen, que logo mais estará no posto de saúde


Você conhece a vacina da Janssen ou Johnson & Johnson? Não? Pois o imunizante está prestes a desembarcar no Brasil e vai fazer parte da lista de imunizantes utilizados. O contrato entre a farmacêutica e o Ministério da Saúde prevê 38 milhões de doses até o fim do ano.


Um lote com 3 milhões de doses foi antecipado e está previsto para chegar no país em breve. A previsão inicial era esta semana, segundo o Ministério da Saúde, mas a data foi adiada.


Dose Única

A vacina da Janssen tem dose única, ou seja, 3 milhões de pessoas irão completar a vacinação apenas com a remessa que está para vir. O imunizante tem uma tecnologia semelhante ao da vacina da AstraZeneca/Oxford, que utiliza adenovírus.


Um material genético da proteína “S” do Sars-CoV-2 é colocado dentro do adenovírus, que funciona como transportador. Quando a pessoa recebe a vacina composta do adenovírus, que carrega a informação genética do novo coronavírus, o corpo inicia um processo de defesa e produz anticorpos contra aquele invasor.


Eficácia da vacina


O imunizante tem 85% de eficácia, após 28 dias da data da aplicação, na prevenção da forma severa da Covid-19 em todas as regiões em nas quais o estudo foi realizado.

Para os casos a forma moderada da doença, a eficácia foi de 66%. Os dados de eficácia e segurança se baseiam em estudo com 43.783 participantes em oito países, incluindo o Brasil, sendo 34% dos participantes com mais de 60 anos de idade.



Logística


De acordo com o Ministério da Saúde, as doses podem ser armazenadas e transportadas entre +2ºC e +8°C, temperatura mais comum nas salas de vacinação do Sistema Único de Saúde (SUS). O imunizante pode ser distribuído em todo o país.


Efeitos colaterais


Segundo divulgado pelo órgão norte-americano Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês), o cidadão que receber a vacina pode ter no braço: dor, vermelhidão e inchaço. No corpo, a pessoa pode apresentar cansaço, dor de cabeça, dor muscular, arrepios, febre e náusea.


Casos de coágulos

Em abril deste ano, o CDC e a Food and Drug Administration (FDA), órgão que funciona como a Anvisa nos Estados Unidos, decidiram suspender a vacinação com o imunizante da Janssen, para investigar seis possíveis casos de pessoas vacinadas com Janssen que registraram casos raros e graves de coágulos.


Após a revisão, os órgãos recomendaram a vacina como “eficiente para prevenir a Covid-19” e que os casos de trombose são muito baixos.


Fonte: IstoÉ

18 visualizações0 comentário