Como melhorar a imunidade com atividades físicas


 
 

Tentar melhorar a imunidade tornou-se uma prática comum nos últimos tempos. Afinal, após o início da pandemia de Covid-19, a vida e as prioridades de muitas pessoas mudaram drasticamente. Além de tomar todas as doses da vacina – incluíndo as de reforço –, evitar aglomerações, usar máscaras e manter a higienização; cuidar do bem-estar também se transformou em uma medida de segurança contra os avanços do coronavírus.


Nada mais justo, afinal essa é uma maneira eficaz de proteger o organismo contra possíveis ameaças infecciosas. No entanto, melhorar a imunidade não é uma tarefa tão simples assim. Mas, se você for uma pessoa livre de doenças pré-existentes, tudo dependerá, basicamente, de um estilo de vida saudável.


Para isso, a recomendação é ter uma alimentação balanceada, descansar corretamente, se proteger do estresse e, claro, fugir do sedentarismo. Fortalecer o organismo e praticar atividades físicas andam lado a lado. Mas, você sabe, por exemplo, qual atividade é melhor e o quanto de exercício é necessário para melhorar a imunidade?


A dose certa de exercícios para melhorar a imunidade


“É importante realizar as atividades de forma leve, aumentando sua intensidade gradativamente ao longo do tempo, para evitar imunossupressão mais acentuada, que resulta na queda do sistema imune”, explica o educador físico Carlos Botelho.


Veja abaixo a recomendação do profissional, para gerar benefícios cardiovasculares e metabólicos através da atividade física e, dessa maneira, melhorar a imunidade do organismo:


  • Homens – 180 a 300 minutos de atividades físicas semanais. Intensidade: moderada/vigorosa

  • Mulheres – 150 a 300 minutos de atividades físicas semanais. Intensidade: moderada/vigorosa


Qual a melhor atividade?


De acordo com Carlos, todos os exercícios são permitidos e conseguem melhorar a imunidade. Você pode realizar atividades aeróbicas – corrida, caminhada, dança e outros –; treinos de fortalecimento, como a musculação, ou até mesmo exercícios de alongamento e relaxamento (yoga e pilates, por exemplo). O ideal é se mexer. Por isso, opte por uma atividade que lhe traga prazer e seja fácil de realizar com frequência.


“A sugestão é reduzir os comportamentos sedentários para, no máximo, seis a oito horas acumuladas no dia. Ficar no máximo duas a quatro horas sentado em frente à tela e procurar fazer pequenas pausas no tempo sentado. Ou seja, a cada hora sentado, ficar em pé por, pelo menos, cinco minutos”, finaliza Carlos.


Fonte: Saúde em Dia

3 visualizações0 comentário