top of page

Como desequilíbrio na tireoide interfere na saúde mental? Médico explica



As disfunções neuroendócrinas, como desequilíbrios no funcionamento da tireoide, têm uma relação direta com a saúde mental e distúrbios psiquiátricos, avalia Antonio Rahal, médico radiologista intervencionista do hospital Albert Einstein e especialista em tireoide. 


Segundo Rahal, a glândula da tireoide está relacionada, entre outras coisas, ao funcionamento do cérebro.


Por isso, alterações no seu funcionamento – comumente associadas a variações de peso – podem ter reflexos importantes também na saúde mental, incorrendo em quadros como ansiedade, irritabilidade e outros sintomas que se assemelham à depressão.


“Ela é a balança de equilíbrio do nosso corpo, então se há qualquer tipo de descompensação, podemos ter oscilação em nossos comportamentos”, comenta Rahal.


A glândula da tireoide está localizada no pescoço e é responsável pela produção de hormônios, como T3 e T4, triiodotironina e tiroxina, que agem em nosso corpo e metabolismo em todas as fases da vida.


O principal papel dela é manter o cérebro, o coração, os músculos e outros órgãos funcionando de maneira adequada


Por isso, qualquer oscilação no funcionamento da tireoide pode causar mudanças no funcionamento do organismo como um todo.


O hipotireoidismo, caso em que a glândula produz menos hormônios do que deveria, faz com que a pessoa se sinta frequentemente cansada e com fadiga.


“Como o metabolismo desacelera, o humor também pode ser afetado, além da memória e a concentração, o que pode gerar um desinteresse geral por diferentes atividades, algo muito próximo de como pode se sentir uma pessoa depressiva”, explica o médico.


Já no cenário oposto, de hipertireoidismo, a pessoa pode ficar extremamente ativa, acelerada, refletindo em quadros de ansiedade intensa, agitação, irritabilidade e variações repentinas de humor.


Rahal reconhece que problemas psicoemocionais podem ser decorrentes de conflitos internos também. Mas o que ele ressalta é que, algumas vezes, a causa pode ser orgânica e decorrente de disfunções neuroendócrinas. 


Segundo o especialista, a relação entre distúrbios na tireoide e transtornos psiquiátricos existe e, por isso, é importante que o paciente seja submetido a exames neuroendócrinos antes que se prescreva qualquer tipo de medicação.


“A depender dos resultados dos exames, é recomendado tratamento medicamentoso acompanhado ou não de psicoterapia, essa última para os casos que envolvam, efetivamente, problemas psicoemocionais”, pontua.


Fonte: O CNN

1 visualização0 comentário
bottom of page