Como apoiar a saúde mental de seus funcionários



Quem deve zelar pela saúde mental dos funcionários? Em um primeiro momento, cabe aos próprios colaboradores. “Terapia, medicina, meditação, seja o que for – isso é algo que precisa acontecer no nível individual”, diz Kelly Greenwood, fundadora e CEO da Mind Share Partners, uma organização sem fins lucrativos que assessora empresas no apoio à saúde mental no local de trabalho.

Mas a tarefa não acaba aí: as empresas têm, sim, uma responsabildiade quanto ao bem-estar mental dos funcionários, e devem agir sobre isso. Estudos apontam que as jornadas em home office têm feito os profissionais trabalharem em média 2,5 horas adicionais por semana. E quem precisa ir até o escritório se sente estressado ​​com a possibilidade de contrair covid-19 e levar a doença a algum familiar. Os dois grupos perderam o ambiente de troca, risada e debate que encontravam nos corredores, e até as atividades extras, como ginástica, academia, natação e ioga.

“As pessoas não reservam tempo para cuidar de si mesmas, não estabelecem limites saudáveis ​​em torno dos exercícios, não mantêm relacionamentos saudáveis ​​em casa com amigos e familiares, não reservam tempo para hobbies. Estão passando muito tempo sem as atividades que as ajudariam a relaxar”, diz Darcy Gruttadaro, diretora do Centro de Saúde Mental no Local de Trabalho, uma organização sem fins lucrativos.

Os empregadores podem ajudar (e muito) os colaboradores, seja moldando a política da empresa ou apenas sendo um pouco mais humanos. O Quartz separou dicas do que os líderes podem fazer para apoiar a saúde mental no local de trabalho. Tenha programas de saúde mental entre os benefícios oferecidos pela empresa

Um pacote de benefícios deve incluir terapeutas facilmente acessíveis por meio de programas de assistência ao funcionário, bem como programas de tratamento de dependências. Isso também significa dar às pessoas espaço e tempo para cuidar de sua saúde mental. Segundo um estudo de outubro de 2020 da seguradora americana The Hartford, 56% dos trabalhadores americanos não se sentem confortáveis ​​em buscar tratamento de saúde mental durante o dia de trabalho.

Crie e promova uma cultura de abertura sobre saúde mental

“As empresas que têm excelentes benefícios para a saúde mental não costumam ver altas taxas de uso e as pessoas sentem vergonha de ir à terapia durante o dia de trabalho. Faça com que os líderes falem sobre isso para que as pessoas sintam que têm essa permissão para cuidar de si mesmas e buscar ajuda se e quando precisarem”, diz Greenwood, da Mind Share.

Mostre que o tema é prioridade

Uma pesquisa de abril de 2020 feita pela Greenwood's Mind Share Partners e Qualtrics descobriu que um mês após o início da pandemia, 38% das pessoas disseram que seu empregador não os havia perguntado o que pensavam. “Quanto mais a liderança comunica a importância de limites saudáveis, de buscar ajuda quando é preciso, e quanto mais funcionários ouvirem isso dela, melhor”, diz Gruttadaro. Permita o máximo de flexibilidade possível

Horários flexíveis ajudam os pais, principalmente as mulheres, a permanecer empregados, e também os permitem refletir: o que precisa ser feito agora e o que pode ser adiado?

Lidere com empatia

Os funcionários são mais propensos a procurar a sua liderança do que o RH. “Os gerentes estão na linha de frente, eles veem os funcionários ao longo do tempo. Se eles compartilham suas próprias vulnerabilidades, seja uma criança tendo um ataque de raiva ou um problema de saúde mental, isso trará grandes resultados, diz Greenwood.

Se você percebeu que o comportamento de um funcionário mudou, aborde o assunto com cuidado

“Encorajamos as pessoas a liderar com curiosidade, mas sem fazer suposições. Frequentemente, os sintomas de problemas de saúde mental se apresentam de maneira semelhante a outras coisas. Fale algo como 'Eu percebi essa coisa concreta no trabalho, você está bem?'. Combinar essas declarações observadas com perguntas abertas é o caminho certo a seguir. Você nunca quer forçar alguém a revelar um problema de saúde física ou mental", afirma Greenwood.

Continue em contato com os colegas

“Sabemos que mesmo tendo um pouco de contato com outras pessoas, e não necessariamente membros de nossas próprias equipes ou grupos ou unidades, nos sentiremos reconectados com nossa organização. Existem algumas culturas em que passar tempo com outras pessoas é um mecanismo importante. Tudo isso deve ser integrado ativamente ao ambiente de trabalho virtual”, afirma Neeley. Fonte: Época Negócios


1 visualização0 comentário