Comer um pedaço de queijo por dia pode evitar perda óssea, diz estudo



Um estudo publicado na revista BMJ Nutrition Prevention & Health, na terça-feira (2/8), trouxe uma boa notícia para os amantes do queijo. O trabalho concluiu que comer um pedacinho de Jarlsberg por dia reduz a perda óssea sem aumentar os níveis de colesterol ruim.


O Jarlsberg é um queijo de receita norueguesa, que tem consistência intermediária e apresenta grandes buracos na massa. Seu consumo é bastante difundido no mundo.


“O consumo diário de queijo Jarlsberg tem efeito positivo na osteocalcina, hemoglobina glicada e lipídios”, escreveram os cientistas no comunicado sobre os achados. Esses componentes são essenciais para a estruturação do tecido ósseo. Os níveis de cálcio e magnésio em pessoas que comeram o queijo Jarlsberg também diminuíram bastante devido à maior retenção desses minerais na formação óssea.

Os pesquisadores analisaram dados de 66 mulheres saudáveis, que consumiram 57 gramas de Jarlsberg ou 50 gramas de Camembert diariamente, durante seis semanas. Ao final desse período, o grupo que ingeriu o queijo Camembert passou a comer Jarlsberg por mais seis semanas.


Durante o trabalho, foram recolhidas amostras de sangue das voluntárias para checar proteínas, osteocalcina e peptídeos, componentes envolvidos na composição óssea. Também foram medidas a quantidade de vitamina K2 e as taxas de gordura no sangue. Ao final do período, ficou comprovado que as pessoas que ingeriram o queijo norueguês apresentavam maior quantidade de osteocalcina e vitamina K2.


O queijo Camembert, produzido tradicionalmente na França, contém as mesmas propriedades de gordura e de proteína que o Jarlsberg. O queijo norueguês, no entanto, é rico em vitamina K2, que é derivada tanto de bactérias quanto de produtos animais.


“Esse estudo mostra que enquanto o cálcio e a vitamina D são conhecidos por sua extrema importância na saúde óssea, também existem outros fatores importantes a serem considerados, como a vitamina K2, que talvez não seja tão conhecida”, afirmou o professor Sumantra Ray, diretor executivo do NNEd Pro Global Centre for Nutrition and Health.

Outras descobertas


Os níveis de gordura no sangue aumentaram levemente em ambos os grupos após seis semanas. Entretanto, a taxa geral de colesterol e de LDL, o colesterol ruim, diminuiu significantemente no grupo que trocou o Camembert pelo Jarlsberg. Outra taxa que caiu nos grupos que optaram pelo queijo norueguês foi a de hemoglobina glicada, que é a quantidade de açúcar retida nas células vermelhas do sangue.


Fonte: Metrópoles

5 visualizações0 comentário