top of page

Com quantos anos uma criança deve deixar de dormir com os pais? Especialista viraliza na internet com resposta



Um treinador de bem-estar da índia viralizou na internet recentemente ao dizer até quantos anos uma criança deve dividir a cama ao lado dos pais. A maioria acredita que até os três anos é uma idade boa para dormir junto, porém, Mickey Mehta diz que o ideal é deixá-los até os 7 anos.


O motivo, segundo o especialista, tem uma mistura de neurociência, pseudociência e misticismo. Segundo ele, até os 7, os neurônios-espelho das crianças estão em funcionamento e são ativados quando observamos pessoas realizando ações, mas também quando realizamos essas ações. Eles são cruciais para a forma como aprendemos habilidades e como interagir com as pessoas.


“Eles aprenderão tudo inconscientemente, quando a criança estiver dormindo”, disse Mehta.

Embora seja bem compreendido que o sono é quando processamos e consolidamos memórias, não há evidências de que os neurônios-espelho estejam aprendendo subconscientemente durante o sono, como afirmou Mehta.


O especialista diz que o subconsciente de uma criança está imersa em negatividade enquanto ela dorme e que ela sonha com traumas, medos, fobias, ou seja, dormir com os pais pode ajudá-las a se sentir mais seguras e protegê-las contra esses pesadelos.


'[Uma criança] tem sonhos de medo, fobias porque o subconsciente [da criança] é terno, capta todos os sinais. Tudo acontecendo universalmente. E na viagem astral as crianças choram, fazem coco e xixi”, explicou.


É certo que se uma criança tiver perturbações no sono, ela não terá um sono reparador. Isso pode levar a todos os tipos de problemas de desenvolvimento e comportamentais. Porém, as falas de Mehta acendeu um debate nas redes sociais. Médicos falaram que ele estava dizendo “bobagens”.


“Ele está insinuando que as crianças fazem xixi na cama por causa de trauma, medo e separação, o que não é o caso. Fazer xixi na cama é comum em muitas crianças devido à imaturidade da bexiga e não à ansiedade”, escreveu nos comentários a pediatra Mona Amin.

Mehta também disse que quando a criança está próxima dos batimentos cardíacos da mãe, ela sincronizará seus ritmos e isso deixará a criança mais tranquila e relaxada.


Um estudo de 2019 realmente mostrou que as pessoas que dormiam juntas sincronizavam os ritmos cardíacos por longos períodos. Porém, não há evidências de que isso seja necessário para o desenvolvimento na primeira infância, nem que as crianças tenham naturalmente batimentos cardíacos irregulares que precisem de correção.


Fonte: O Globo

4 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page