Com casos de Covid em alta, Áustria endurece regras para não vacinados


A Áustria iniciará nesta segunda-feira (8) uma série de restrições para as pessoas não vacinadas contra a Covid-19. O país europeu, assim como outros no continente, passa por uma alta de casos de coronavírus atribuída à taxa de vacinação insuficiente para controlar a transmissão (saiba mais no fim da reportagem).


Pelas regras definidas na sexta-feira pelo governo austríaco, pessoas que não apresentarem comprovante de vacinação contra a Covid-19 terão entrada proibida em:

  • restaurantes, bares e cafés

  • hotéis

  • salões de beleza e cabeleireiros

  • eventos públicos com mais de 25 pessoas

Até então, as pessoas não vacinadas podiam frequentar esses e outros lugares, desde que apresentassem um teste negativo para o coronavírus ou tivessem se recuperado de uma infecção anterior pelo vírus da Covid-19. No mês passado, o governo prometeu impor uma espécie de "lockdown para pessoas não vacinadas" — ou seja, restrições de locomoção ainda mais rígidas para que não tomaram a vacina. "É nossa responsabilidade proteger as pessoas do país", disse o chanceler austríaco, Alexander Schallenberg, durante o anúncio na sexta-feira, segundo a Associated Press. A Áustria, assim como a vizinha Alemanha, registrou recordes no número diário de novos casos de Covid-19 desde o início da pandemia. No sábado, foram 9.923 novos diagnósticos confirmados da doença.

Atualmente, dois terços da população austríaca recebeu ao menos a primeira dose, e 64,5% estão completamente imunizados contra a Covid. São percentuais considerados ainda baixos e insuficientes, ainda mais na comparação com outros países da Europa Ocidental, como a Espanha, que está perto dos 80% de cobertura vacinal. No Leste Europeu, casos em alta e vacinação em baixa A Organização Mundial da Saúde (OMS) afirmou nessa semana que a Europa voltou a ser a região mais preocupante em relação à pandemia. Isso vale inclusive para países com a cobertura vacinal maior, na Europa Ocidental, como Reino Unido, Alemanha e a própria Áustria. Porém, a situação é pior em países do Leste Europeu e de parte da Europa Central, onde a população é mais resistente às vacinas e os números da Covid-19 não param de subir.

A Rússia, por exemplo, vem registrando uma média móvel de mortes superior a 1 mil. Em Moscou, cidade mais afetada no país, escolas, salões de beleza, lojas, academias e outros serviços "não essenciais" estão fechados. Lá, só um terço das pessoas está completamente imunizada.


Fonte: G1

5 visualizações0 comentário