Com 88% da população vacinada, Chile anuncia fim do estado de emergência para Covid-19


O governo do Chile anunciou nesta segunda-feira (27) que vai pôr fim ao estado de emergência decretado contra a Covid-19 a partir de quinta-feira (30) em um momento em que o país já vacinou mais de 88% da sua população contra o coronavírus.

“É de vital importância que todos tenhamos plena consciência que a pandemia do coronavírus não acabou, e por conta disso, temos que seguir cuidando da nossa saúde e nossas vidas", disse o presidente Sebastián Piñera em um pronunciamento gravado. A medida foi promulgada pela primeira vez em 18 de março de 2020 por um período de 90 dias, apenas duas semanas após a confirmação do primeiro caso de Covid-19 no país. Desde então, foi prorrogada diversas vezes pelo governo do país sul-americano. Jaime Bellolio, porta-voz do governo, afirmou em entrevista coletiva que não renovar o estado de emergência significa "que não vai ter mais toque de recolher em nenhuma região e que não teremos quarentenas nas comunas e regiões". "Retomar os espaços da vida cotidiana nos obriga a ser mais responsáveis que nunca", disse Bellolio. Segundo o Ministério da Saúde chileno, 88,18% da população do país já recebeu as duas doses das vacinas disponíveis contra a Covid-19 – ou vacinas de dose única. O país também começou a distribuir doses de reforço para idosos em agosto e, até o momento, mais de 52 mil doses já foram aplicadas. Vacinação para menores de 12 anos No início do mês, o Chile começou a vacinar crianças com idades entre 6 e 11 anos contra a Covid-19. A vacinação destes menores – autorizada em 6 de setembro – é realizada em centros de saúde com os pequenos portadores de "comorbidades", como câncer ou diabetes. "No Chile, em geral, a tradição dos programas de vacinação nos indica que as crianças se vacinam muito mais do que os adultos", afirmou na ocasião o ministro da Saúde Enrique Paris. A vacinação contra a Covid-19 começou em 3 de fevereiro no Chile e avançou rapidamente. Com mais de 15 dos seus 19 milhões de habitantes, já completamente imunizados.


Fonte: G1

3 visualizações0 comentário