Com áudios e videochamadas, Papai Noel dá um jeitinho de manter o 'trabalho' na pandemia



"Ho, ho, ho, aqui é o Papai Noel. Olá, Carolina, tudo bem com você? Eu sei que você adora brincar com os seus priminhos e dançar como uma bailarina. Olha, já estou na minha fábrica separando todos os presentes, mas você precisa parar de responder mal pro papai e pra mamãe, tá bom? Se comporta que no Natal eu deixo seus presentes".

Sim, o Papai Noel mandou um áudio, com a mensagem acima, para a Carolina, de 3 anos, moradora de Belo Horizonte. E, graças à tecnologia, o bom velhinho está alegrando crianças dessa mesma forma por todo o Brasil.


Por trás do gorro vermelho e da barba branca está Álvaro José Padilha Fagundes, de 57 anos. Ele mora em Porto Alegre (RS), mas se conectou a Belo Horizonte e a outras cidades para deixar o natal de algumas famílias ainda mais colorido. Tudo começou em 2017, quando ele teve a iniciativa de gravar áudios como Papai Noel para os vizinhos.

"As mães compartilharam os áudios com outras pessoas e a coisa cresceu. Neste ano, por causa da pandemia, os pedidos aumentaram muito, e eu recebo tudo pelas redes sociais. Mando os áudios sem cobrar nada, porque, para mim, o que vale a pena é saber que a magia da infância será mantida, com ou sem pandemia", diz.

E, para melhorar ainda mais, os pais também recebem alguns "presentes", em forma de ajuda para dar um puxão de orelha: "Muitos me pedem para ajudar na correção das crianças. Aí dou conselho para serem obedientes, largarem o bico, dormirem na própria cama, deixarem a fraldinha. Só não peço para se comportarem demais. Criança tem que fazer bagunça", brinca. Para Denise Ribeiro da Rocha, dentista e mãe da Carolina, a emoção foi mais que especial. "Este seria o primeiro ano em que ela já entende sobre o natal, estava empolgada pensando no Papai Noel, e a pandemia tirou a oportunidade de ela viver isso presencialmente. Mas, com esse gesto simples, a gente manteve o mundo de fantasias dela. Foi muito fofo. Eu fiquei emocionada", conta. A celebração de natal na família de Denise também será diferente. Segundo ela, não terá ceia com todos. Cada um vai ficar na sua casa, mas unidos em um mesmo sentimento. "Ter fé é o principal. Que a gente nunca perca a fé e o lado inocente das crianças. O natal vai ser simples, mas cheio de amor", celebra. Como este ano está sendo difícil para muita gente, o Papai Noel Virtual deixa um recado para crianças e adultos:

"É emocionante poder tocar o coração das pessoas, e podemos fazer isso sem inventar muito. Ser esse Papai Noel é mágico até pra mim, porque é um jeito de acreditar que isso tudo vai passar e de que estou fazendo a minha parte. Que cada um também faça a sua pra gente ter uma sociedade cada vez mais mágica", aconselha Álvaro.


Fonte: G1

5 visualizações0 comentário