Clínica com 137 doentes renais alega calote da Saúde do DF e fecha as portas


 
 

Uma clínica de hemodiálise, que atende a 137 pacientes da rede pública, informou o encerramento de todas as atividades nessa segunda-feira (31/1), no Distrito Federal. A MSF Tratamento Renal funcionava em Samambaia Norte, e o dono da empresa, Edson da Silva Santos, disse que o fechamento do local ocorreu “por falta de condições financeiras”.


O empresário alegou que não conseguiu superar as dificuldades financeiras que acometeram severamente a MSF desde 2021. Ele disse que a clínica está “na iminência de sofrer despejo judicial, assim como de ver suspenso o fornecimento de energia e de água, por inadimplência”.


Representantes da Associação dos Pacientes Renais Crônicos e Transplantados do DF (Apart-DF) se reuniram com o proprietário da clínica nessa segunda-feira. A associação questionou o porquê de a paralisação ocorrer “repentinamente”, e Santos disse que tentou resolver as pendências com a Secretaria de Saúde “até o último momento”.


À coluna o dono da MSF afirmou que a Secretaria de Saúde deve aproximadamente R$ 1,5 milhão para a clínica. “As mudanças de gestão na SES fizeram com que várias diferenças de 2020 e de 2021 ficassem perdidas em diversos processos SEI”, disse. A pasta nega a dívida de tal valor.


Questionado pela coluna sobre o destino dos 137 pacientes, o empresário disse que “é esse ponto que a associação de pacientes está discutindo agora com o secretário de Saúde, porque a MSF não tem mais recursos financeiros, mas há vagas em outras clínicas”.


O que diz a Secretaria de Saúde


A Secretaria de Saúde disse à coluna que a pasta não deve R$ 1,5 milhão à MSF, conforme alegou o dono da clínica. “Há um valor em aberto de R$ 52.928,41 referente à prestação de serviço sem a devida cobertura contratual. Geralmente são pacientes acometidos pela Covid.


Cabe ressaltar que a mesma empresa recebeu um repasse da Portaria MS 3882/2020 para auxiliar nas despesas Covid de R$ 254.276,94. Os demais pagamentos estão regulares”, afirmou.

Segundo a pasta, mensalmente, a clínica recebe repasses de R$ 535 mil. Todo mês, há vagas na MSF para 256 pacientes da rede pública, mas são atendidos, em média, 188 doentes.

A Secretaria de Saúde disse que não foi comunicada sobre o encerramento das atividades da MSF. “A Secretaria de Saúde informa que não foi notificada oficialmente sobre o fechamento da clínica. Além disso, a pasta esclarece que possui contratos com oito empresas, de forma que, caso a informação de fechamento seja verídica, os pacientes serão remanejados, impedindo a desassistência”, afirmou.


Fonte: Metrópoles

9 visualizações0 comentário