Cidade que imunizou todos os adultos não tem nenhuma morte por Covid há sete meses no CE


 
 

Uma cidade cearense demonstra com clareza absoluta a importância das vacinas contra a Covid.


Longe das praias de Fortaleza, Guaramiranga sempre se destacou pelo clima de cidade serrana do Ceará. Mas agora tem atraído turistas que também se preocupam com a saúde.

"Mais segura, tranquila. Aliás a gente, hoje em dia, escolhe os locais onde a gente sabe que isso aí está acontecendo", diz a médica Suerda Guimar Fernandes.

O que acontece lá é o sucesso da vacinação contra a Covid. Na cidade, com mais de 5 mil habitantes, 96% dos moradores com mais de 11 anos já tomaram duas doses da vacina e 25%, a dose de reforço. Guaramiranga também aplicou, antes de todos os municípios do Ceará, a primeira dose em todos os adultos, em junho de 2021. "A gente fica muito satisfeito por ter tido essa vacinação e sabendo que a vacina salva", afirma o professor Luzibergue Souza Carneiro.

Por isso a cidade foi escolhida como teste de eficiência da vacina. Quando recebe as doses, cada morador passa por dois exames: um para detectar a presença do vírus e outro para avaliar o grau de imunidade a ele. "O que nós temos apresentado é uma resposta bem positiva já na segunda dose. A gente prova que os pacientes que estão contraindo a Covid, por conta da vacina, eles estão tendo sintomas leves”, afirma a secretária de Saúde de Guaramiranga, Silvana Soares de Souza. Os dados são repassados ao governo do estado. “Esse monitoramento é importante para entender como se dá a transmissão e a gravidade, principalmente dos casos que têm acontecido. Até o momento, Guaramiranga não registra óbito desde junho de 2021", diz a secretária executiva de Vigilância e Regulação em Saúde do Ceará, Ricristhi Gonçalves. O parâmetro mais visível da eficiência das vacinas é a quantidade de internações no único hospital da cidade, que passou os últimos seis meses de 2021 sem nenhum paciente internado por Covid. Neste ano, com o aumento no número de casos da doença, houve apenas uma internação: uma paciente, com sintomas moderados, que recebeu alta quatro dias depois. Dona Antônia, que tem epilepsia e hipertensão, está se recuperando em casa, com o marido. Ela pegou Covid antes de tomar a dose de reforço da vacina. Agora terá que esperar um pouco.

"Saiu bem porque, graças a Deus, ela tomou duas doses da vacina, e amenizou a força da Covid", conta o vigia Raimundo Vieira da Silva.

Seu Raimundo também pegou Covid, mas quase não sentiu nada. E agora está feliz por comprovar a importância da vacina: “Foi um alívio. Funciona sim. Sou prova disso. Prova viva”. Fonte: G1

21 visualizações0 comentário