Cidade de SP recebe mais de 200 mil doses de AstraZeneca e vai retomar aplicação do imunizante


Depois de ter recebido uma remessa de 204.880 doses da vacina AstraZeneca, a cidade de São Paulo vai retomar a aplicação do imunizante como segunda dose nesta sexta-feira (17).


Segundo a prefeitura, a ideia é priorizar a AstraZeneca como segunda dose de quem já tomou esse imunizante e adotar a intercambialidade com a vacina da Pfizer apenas nos postos onde não houver AstraZeneca.

Com o desabastecimento temporário de AstraZeneca, e a adoção da intercambialidade em 10 de setembro, foram aplicadas até a quarta-feira (15) 134.790 doses de Pfizer como segunda dose para aqueles que tomaram a AstraZeneca na primeira dose.

Às 19h30, a capital contabilizava 23.484 doses de AstraZeneca já distribuídas e prontas para aplicação nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) municipais. Nas centrais de armazenamento, na contagem feita no mesmo horário, havia 179.550 doses do imunizante - a maior parte da remessa foi recebida por volta das 14h30.

A expectativa da Secretaria Municipal da Saúde é que a maior parte dessa remessa seja distribuída ao longo desta sexta-feira.

O estoque de Pfizer totaliza quase 280 mil doses (279.281). Neste caso, a maior parte está nos postos de imunização (199.601).

Desde 10 de setembro o esquema vacinal de quem tomou a 1ª dose de Astrazeneca estava sendo completado através de intercambialidade com imunizantes da Pfizer, por falta de doses do imunizando produzido pela FioCruz. Na quarta-feira (15), o governo de São Paulo disse que recebeu do Ministério da Saúde cerca de 456 mil doses da vacina da Oxford/Astrazeneca e começaria a regularizar a aplicação da 2ª dose do imunizante para quem ainda está em atraso a partir desta quinta-feira (16).

Segundo a coordenadora do Programa Estadual de Imunização (PEI), Regiane de Paula, com a chegada das novas doses, o governo paulista vai deixar de aplicar a vacina da Pfizer como segunda dose nos que tinham tomado Astrazeneca mas não conseguiam completar o esquema vacinal por falta de doses enviadas pelo Ministério da Saúde.

“Vamos voltar a usar a vacina da AstraZeneca para completar o esquema vacinal daqueles que precisam”, afirmou Regiane de Paula.

“Usamos de forma emergencial [a vacina da Pfizer] na sexta-feira porque não tínhamos a vacina da AstraZeneca, porque não recebemos. Para que a gente pudesse completar a segunda dose, usamos a intercambialidade com a vacina da Pfizer desde então”, informou. Intercambialidade A intercambialidade das vacinas da Pfizer e da AstraZeneca foi chancelada pelo Comitê Científico do Governo do estado e pelo Programa Estadual de Imunização (PEI), que embasaram a decisão em estudos da Organização Mundial de Saúde e orientações do próprio Ministério da Saúde.

A decisão também foi aprovada em deliberação bipartite com o Conselho dos Secretario Municipais de Saúde de São Paulo (Cosems).


Fonte: G1

3 visualizações0 comentário