Casal destrói clínica por acreditar ser 'rastreado por chip' implantado por dentistas



Com uma criança de colo e outras duas pequenas acompanhando, um casal de Minas Gerais foi gravado destruindo a recepção de uma clínica ortodôntica de Belo Horizonte. As câmeras de segurança do local flagraram o momento em que eles, ao ouvirem que o dentista que procuravam estaria em horário de almoço, quebram monitores, telefones e até mesmo a televisão pendurada no local, causando um prejuízo estimado em R$ 7 mil, na tarde de ontem. A razão da revolta já foi registrada em ocorrência policial desde janeiro: eles acreditam que um chip rastreador foi implantado na boca da mulher.


Em conversa com o UOL, uma responsável pela clínica, que não quis se identificar, explicou que o consultório atendeu a mulher em 2019 para fazer um procedimento de prótese. Anos depois, no começo de 2022, eles voltaram ao local afirmando que tinha "um corpo estranho" na boca dela. "A todo momento, os dois estavam exaltados. Ele chegou a mostrar uma foto de arma no celular para um dos dentistas que estava avaliando. Eles gritavam 'quero que arranque esse dente, quero que tire esse corpo estranho, tem um corpo estranho'", contou a profissional.

Dias após o ocorrido e com a insistência da dupla, a clínica concordou em fazer a extração do dente da mulher se ela assinasse um termo de responsabilidade, já que nenhum dos especialistas do local encontrou qualquer problema na prótese. O procedimento foi feito com a presença do marido dela na sala. Segundo a clínica, o homem filmou toda a ação do dentista.

Ela fez a extração, continuou carregando o filho no braço, tomou sol, não seguiu nada do pós-operatório e dias depois retornou com o rosto inchado. Eles já chegaram fazendo uma baderna na clínica. Levaram os filhos de novo. Neste dia, a gente registrou um boletim de ocorrência. Eles chamaram a polícia, a gente também chamou a polícia e foi quando o policial militar relatou para a gente que ele falou que a clínica tinha colocado uma escuta na região da extração [do dente].

Funcionária da clínica que pediu para não ser identificada

No boletim de ocorrência do mês de janeiro, ao qual o UOL teve acesso, é possível confirmar o depoimento da cliente da clínica à polícia sobre sua suspeita de que teria um mecanismo implantado. "A senhora alega que ela e seu companheiro têm a certeza de que foi colocado na boca dela uma escuta ou um rastreador. Ela alega que está sendo perseguida e que todo o áudio do seu WhatsApp está sendo vazado", diz trecho do documento.

A dupla teria feito uma série de ligações para a clínica com ameaças e não voltou a entrar em contato com os funcionários da empresa por meses, até o ocorrido da tarde de ontem.

"Ele chegou na clínica, perguntou onde estava o dono da clínica, procurou o administrativo e estava todo mundo em horário de almoço, então, na hora que a recepcionista falou com ele que o dentista não estava aqui, a senhorita falou alguma coisa com ele e começou a quebrar tudo", contou a funcionária.

Nas imagens de câmeras de segurança, é possível ver que o homem começa a quebrar os monitores e teclados da recepção da clínica. A mulher, com uma criança no braço, levanta e também joga alguns objetos no chão.

"Em momento nenhum eles falaram de sentir dor. As crianças pediam para eles pararem, estavam pedindo ajuda, assustadas, e a situação continuava acontecendo", contou.

O vídeo da câmera de segurança também mostra que uma das crianças chora enquanto outra grita para os pais pararem. O homem corre até a TV, pregada na parede, chuta e dá socos no equipamento. Em poucos segundos, os dois vão até o elevador para ir embora. Alguns funcionários tentam impedir a saída do casal, mas eles fogem.

Segundo a Polícia Civil de Minas Gerais, um inquérito foi aberto para apurar os fatos e a investigação ficará a cargo da 2ª Delegacia de Polícia Civil, no centro da capital mineira. A polícia não informou se os suspeitos foram encontrados após a fuga.

O UOL ainda não conseguiu verificar se o casal tem defesa constituída e, por isso, não conseguiu posicionamento de seus representantes legais. O espaço segue aberto para manifestação e será atualizado tão logo haja um posicionamento.

Fonte: UOL

1 visualização0 comentário