top of page

Câncer: como funciona o teste caseiro lançado na Europa



Uma das maiores redes de supermercado da Europa, a Tesco, anunciou, na última segunda-feira (27/2), o início das vendas de um teste rápido que auxilia no diagnóstico do câncer de intestino, fabricado pela empresa Newfoundland Diagnostics. Desde então, a população do Reino Unido pode comprar a caixinha com o autoteste pelo equivalente a R$ 62,50 e ter o resultado em mãos em apenas cinco minutos.


O Bowel Health Test (teste de saúde intestinal) utiliza o método de fluxo lateral rápido para a detecção de sangue oculto humano em amostras de fezes. Ele é indicado pelo fabricante como um método para auxiliar no diagnóstico da doença, com 99% de precisão


“Queremos oferecer às pessoas a oportunidade de cuidar da própria saúde por um preço acessível. Com longos prazos de espera para realizar consultas e o preço elevado dos exames de laboratório, estamos oferecendo testes rápidos em casa que fornecem às pessoas conhecimentos vitais que podem aliviar a pressão no sistema de saúde e diminuir o estresse do paciente”, afirmou o co-fundador da Newfoundland, Frederick Manduca, em entrevista ao jornal Independent.


O diagnóstico do câncer de intestino a partir da identificação de sangue nas fezes não é novidade, já que exames laboratoriais fazem o mesmo há aproximadamente três décadas. Mas a forma com que ele passou a ser oferecido divide as opiniões dos médicos.


Entre os benefícios, destaca-se a facilidade do acesso a um teste que pode contribuir para o diagnóstico e início do tratamento mais rápido. Por outro lado, os especialistas lembram que a presença de sangue nas fezes também pode ser um indicativo de outras condições, como úlceras, varizes no intestino e hemorroidas, por exemplo, além da possibilidade de resultado falso positivo ou falso negativo.


“A informação que ele traz é interessante, mas pode levar ao sofrimento psíquico de pacientes que vão interpretar que têm câncer por um teste que pode ter resultado falso positivo”, pondera o oncologista Rodrigo Nery, do Hospital Universitário de Brasília (HUB).

Ferreira lembra que um diagnóstico de câncer causa muita angústia nos pacientes. Além disso, testes rápidos ainda geram dúvidas de interpretação entre os usuários, assim como ocorreu no lançamento dos voltados à detecção do coronavírus.


O oncologista Gustavo Fernandes, diretor nacional de Oncologia na Rede Dasa, destaca que os pacientes devem lembrar que o teste é apenas um método de triagem. O resultado positivo deve ser seguido por investigação mais cautelosa, com exames de colonoscopia e endoscopia para a análise do intestino grosso e do estômago, respectivamente.


Fernandes encara a novidade com otimismo, desde que a população seja bem orientada. “Eu gostaria que testes de triagem fossem distribuídos para a população com mais de 50 anos nos postos de saúde. Mas é preciso educação para interpretar o teste”, afirma o oncologista.


“Quando se fala em ambientes de recursos limitados, como no Brasil, onde grande parte das pessoas não têm acesso à consulta médica e exames de check-up, faz sentido que o indivíduo use testes como esse e procure seu médico quando o resultado for positivo”, continua.


Autoteste


Nas instruções de uso Bowel Health Test, a Newfoundland Diagnostics afirma que nenhuma restrição alimentar é necessária antes do teste, que usa um ensaio de anticorpo duplo para detectar seletivamente sangue oculto nas fezes. As amostras não devem ser coletadas durante o período menstrual ou nos três dias próximos a ele; ou se o paciente sofre de hemorroidas hemorrágicas ou sangue na urina.


Álcool, aspirina e outros medicamentos tomados em excesso devem ser evitados nas 48 horas anteriores ao teste, pois podem causar irritação gastrointestinal, que resulta em sangramento oculto.


O teste rápido é feito a partir de uma pequena amostra de fezes coletada em um papel que deve ser preso ao vaso sanitário com abas adesivas. O usuário deve inserir o tubo coletor em ao menos três lugares diferentes para recolher amostras do tamanho de um grão de arroz e, em seguida, agitar o pote para misturar.


Depois, é necessário transferir dez gotas cheias da amostra extraída para o tubo de reação e esperar cinco minutos para ter o resultado.


Câncer de intestino


O câncer de intestino – também conhecido como câncer de cólon e reto ou colorretal – é um dos mais comuns no Brasil, atrás apenas do de pele e dos tumores de mama e de próstata, segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca).


Cerca de 90% dos casos estão relacionados ao estilo de vida, como dieta hipercalórica, rica em carne vermelha e embutidos e pobre em frutas e vegetais; sedentarismo; tabagismo e obesidade.


“É importante fazer a prevenção primária da doença com dietas saudáveis, redução de carne vermelha e alimentos processados, e prática de exercícios físicos, além de reconhecer os sintomas iniciais”, afirma o oncologista do HUB.


Sintomas do câncer de intestino


Pacientes com câncer de intestino podem apresentar:

  • Alteração do hábito intestinal: diarreia ou constipação;

  • Sangue nas fezes;

  • Dor ou desconforto abdominal provocados por perfuração;

  • Fraqueza e anemia;

  • Perda de peso sem causa aparente.


Não há pedidos da empresa Newfoundland Diagnostics para o registro do teste de diagnóstico no Brasil, segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A fabricante foi procurada pelo Metrópoles, mas não respondeu até o fechamento da reportagem.


Fonte: Metrópoles

13 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page