ButanVac é segura e gera resposta imunológica contra a Covid, apontam estudos iniciais em humanos


A ButanVac, vacina com tecnologia americana e em teste pelo Instituto Butantan, em São Paulo, apresentou boas taxas de segurança e de resposta imunológica durante a fase 1 — estudos iniciais em humanos. Os resultados do estudo foram divulgados em uma plataforma de pré-prints (versão prévia sem revisão de outros cientistas independentes).

Detalhes do estudo:

  • Participaram 210 voluntários — 82 homens e 128 mulheres com idade entre 18 e 59 anos;

  • Eles receberam duas doses com intervalo de 28 dias;

  • Menos de um terço dos participantes apresentou efeitos adversos, mas não foi registrado nenhum caso grave. Os sintomas mais frequentes foram dor e sensibilidade no local da aplicação, fadiga, dor de cabeça e dor muscular;

  • Com base nos resultados do estudo, duas formulações de 3 µg foram selecionadas para serem avaliadas na próxima etapa do ensaio clínico, a fase 2.

Com o fim dos testes da primeira fase, a candidata à vacina contra a Covid-19, que recebe o nome internacional de NDV-HXP-S, demonstrou um "perfil de segurança aceitável e é altamente imunogênica", escreveram os autores. "Esta vacina pode ser produzida a baixo custo em qualquer instalação projetada para a produção da vacina inativada do vírus da influenza", completaram. O Instituto Butantan produz anualmente 80 milhões de vacinas da gripe usando ovos. As pesquisas de fase 1 foram inteiramente descritas por cientistas da Universidade Mahidol, de Bangkok, da Icahn Escola de Medicina Monte Sinai, de Nova York, e da Universidade do Texas, em Austin. O imunizante está sendo testado também no Vietnã e no Brasil, além da Tailândia, mas os resultados ainda não foram divulgados.

O Butantan deverá produzir 100% do imunizante em sua própria infraestrutura, caso a vacina se comprove eficaz. Até o momento, os testes brasileiros são realizados em Ribeirão Preto (SP), Guaxupé (MG), São Sebastião do Paraíso (MG) e Itamogi (MG).

Requisitos para os voluntários no Brasil:

  • Ter mais de 18 anos

  • Nunca ter tido Covid-19

  • Não ter sido vacinado contra o SARS-CoV-2

  • Não ser alérgico a ovos e frango

  • Não estar grávida ou ser lactante

Fonte: G1

5 visualizações0 comentário