Bruno Covas se licencia da Prefeitura de SP para nova etapa de tratamento contra o câncer



O prefeito Bruno Covas (PSDB) se licenciou do cargo por 10 dias nesta segunda-feira (18) para uma nova etapa de tratamento contra um câncer diagnosticado na cárdia, transição entre estômago e esôfago.


De acordo com o boletim médico Hospital Sírio Libanês, localizado na região Central de São Paulo, Covas foi submetido nesta segunda-feira (18) a uma sessão complementar de radioterapia e se ausentará da Prefeitura de SP "para repouso e cuidados pessoais". Após esse período, a previsão é a de que o prefeito continue com a imunoterapia e exames de controle.

Em dezembro de 2020, os médicos que cuidam do prefeito afirmaram que Covas encontrava-se "clinicamente muito bem" e também que seria "submetido às sessões de radioterapia durante as próximas semanas para continuidade do tratamento".

Ele está sendo acompanhado pelas equipes médicas coordenadas pelos médicos David Uip, Roberto Kalil Filho, Artur Katz, Tulio Eduardo Flesch Pfiffer e João Luiz Fernandes da Silva (radioterapia). Na ausência do prefeito, o vice dele, Ricardo Nunes (MDB), assume a gestão da cidade de São Paulo pela primeira vez. Os dois foram empossados em 1 de janeiro na Câmara Municipal da capital para o mandato que vai até dezembro de 2024.

Nas redes sociais, o prefeito informou que já fez 24 sessões diárias de radioterapia e voltará ao cargo em 29 de janeiro.

"Hoje completei mais uma etapa do meu tratamento. Foram 24 sessões diárias de radioterapia. Agora, por recomendação médica, tenho que me afastar do trabalho por 10 dias. Nesse período desejo sucesso ao Prefeito em exercício Ricardo Nunes. Estarei à disposição dele se necessário. Sexta que vem retorno à Prefeitura. Obrigado a todos pela compreensão e carinho", afirmou o Covas. Descoberta do câncer O prefeito da capital foi internado pela primeira vez no dia 23 de outubro de 2019, quando chegou ao hospital com erisipela (infecção na perna), que evoluiu para trombose venosa profunda (coágulos) na perna direita. Os coágulos subiram para o pulmão, causando o que é chamado de embolia.

Durante os exames para localizar os coágulos, médicos detectaram um câncer na cárdia, região entre o esôfago e o estômago, com metástase no fígado.

Covas passou por oito sessões de quimioterapia mas, segundo a equipe médica, não foram suficientes para vencer o câncer. No boletim médico divulgado em 28 de abril deste ano, a equipe do Sírio Libanês afirmou que Bruno Covas continuava com o câncer nos linfonodos, sendo necessário que ele continuasse com o tratamento de imunoterapia.

Na ocasião, o prefeito foi submetido a exames de controle, entre eles a ressonância magnética, "que demonstraram que o tratamento está sendo eficaz no combate ao câncer que persiste nos linfonodos".

"Diante desse resultado, a equipe médica decidiu que o prefeito seguirá realizando aplicações endovenosas de imunoterapia a cada três semanas", informou a nota assinada pelos médicos em 28 de abril de 2020. Íntegra da nota do Hospital Sírio Libanês: "O prefeito Bruno Covas completou hoje, dia 18, uma nova etapa de seu tratamento. Foi submetido à sessão complementar de radioterapia. O prefeito deverá reservar os próximos 10 dias para repouso e cuidados pessoais. Após este período está prevista a continuidade do tratamento com imunoterapia e exames de controle.O prefeito Bruno Covas vem sendo acompanhado pelas equipes médicas coordenadas pelo Prof. Dr. David Uip, pelo Prof. Dr. Roberto Kalil Filho, Dr. Artur Katz, Dr. Tulio Eduardo Flesch Pfiffer e Dr. João Luis Fernandes da Silva".


Fonte: G1

2 visualizações0 comentário