Britânico remove rins e descobre que órgãos pesavam mais de 35kg


Warren Higgs passou mais de 20 anos de sua vida sendo afetado por uma doença renal grave e que não tem cura. Recentemente, ele teve seus rins retirados através de uma perigosa cirurgia.

A piora do quadro ao longo do tempo afetou severamente a qualidade de vida do homem britânico de 54 anos de idade, fazendo com que precisasse submeter-se ao procedimento de remoção dos órgãos adoentados.

"A operação em si é perigosa. É um risco de 50% [de morte], mas eu tenho que correr. Tenho que fazer isso porque viver no sofá não é vida", comentou Higgs no último mês de junho, quando estava marcando a cirurgia, segundo divulgado pela BBC na época.

Os rins do britânico estavam repletos de cistos e fluido, o que tornava seu tórax incrivelmente inchado. A patologia responsável pela situação, que se chama Síndrome renal policística e é hereditária, afeta uma a cada mil pessoas, sendo considerada assim uma doença comum.


No caso de Warren, os órgãos estavam tão grandes haviam começado a esmagar seus pulmões, coração e estômago, configurando um quadro que poderia levá-lo à morte em breve.

Ainda conforme o veículo, a cirurgia, que felizmente foi bem-sucedida, levou duas horas, e chocou os médicos que a realizaram pelas dimensões dos rins do homem, que juntos ultrapassavam 35 quilos.

"Nunca tinha visto nada tão grande. Acho que esses seriam os rins mais pesados a serem removidos que se tem relato em qualquer lugar do mundo", comentou Sanjay Sinha, médico que tratou Higgs.

A rotina do britânico foi transformada pelo procedimento. Ele pode voltar a ingerir alimentos sólidos, por exemplo, algo que não era possível anteriormente, e também conseguiu recomeçar a prática de exercícios físicos.


Sua maior desvantagem no momento é a necessidade de fazer hemodiálise a cada dois dias. Para evitar ficar dependente de máquinas para ter seu sangue filtrado durante o restante da vida, Warren pretende entrar na lista de transplante de rins.


Fonte: Aventuras na História

0 visualização0 comentário