Bolsonaro vinha sendo aconselhado por auxiliares a 'dar uma parada' e cuidar da saúde


Assessores de Jair Bolsonaro disseram ao blog que já vinham aconselhando, antes desta quarta-feira (14), que o presidente desse "uma parada" e cuidasse da saúde. Segundo eles, Bolsonaro vinha reclamando não só dos soluços, mas de dores na região abdominal.


De acordo com esses auxiliares, o presidente achava que as dores eram reflexos justamente do soluço persistente dos últimos dias – este, ele atribuiu ao efeito colateral de uma anestesia e de remédios que estava tomando após fazer um implante dentário.

Na madrugada desta quarta, as dores pioraram e Bolsonaro foi levado ao Hospital das Forças Armadas, onde permanece em observação. Um assessor afirmou ao blog que o presidente vinha sendo aconselhado a reduzir o ritmo de viagens e cuidar da saúde, mas sempre dizia que estava tudo bem.

Na verdade, não estava. Na última sexta (9), por exemplo, Bolsonaro passou mal durante um jantar com empresários no Rio Grande do Sul. O presidente costuma dizer que tem a saúde de um atleta, mesmo tendo passado por várias cirurgias após a facada sofrida na campanha eleitoral de 2018.

Ministros que conversaram hoje com o presidente por telefone relataram que o tom de voz era bom, que Bolsonaro estava tranquilo e dizia aguardar o resultado dos exames. E que havia recebido a orientação de ficar em repouso nas próximas 48 horas, até um diagnóstico final. Bolsonaro deve ser examinado ainda nesta quarta pelo médico Antonio Macedo, responsável pelas cirurgias abdominais decorrentes do atentado à faca. No exame, Macedo deve analisar se a cirurgia para correção de uma hérnia abdominal precisa ser feita com urgência.


Fonte: G1

10 visualizações0 comentário