Boletim da Fiocruz pede atenção com variantes do coronavírus


A edição extraordinária do Boletim Observatório Covid da Fiocruz, divulgado nesta quarta-feira (25), mostrou que ainda é preocupante a situação do Rio de Janeiro, que tem taxa de ocupação de UTIs de 96% na capital.


O boletim, que mostra o cenário da semana epidemiológica de 15 a 21 de agosto para todo o país, fala ainda em declínio nos números absolutos de casos da doença e de óbitos, e chama atenção para estagnação na melhora para algumas faixas etárias, como a dos idosos.

Os cientistas do observatório salientam ainda que, por mais que as vacinas contribuam para a redução de casos graves, internações e óbitos, o surgimento e o espalhamento de novas variantes devem manter os serviços de vigilância em saúde em alerta, com amplo uso de testes, detecção de casos, isolamento e quarentena. “Enquanto a pandemia estiver em curso, além da necessidade de ampliar e acelerar a vacinação, é de grande importância para todos, mesmo os que tomaram vacinas, manter medidas como o uso de máscaras e de distanciamento físico”, diz trecho do documento. Veja outras conclusões do boletim da Fiocruz para o país:

  • Roraima é o único estado com taxa de ocupação de leitos de UTI para adultos no SUS superior a 80%;

  • Quanto às capitais, Rio de Janeiro (96%) e Boa Vista (84%) mantêm-se em nível muito crítico;

  • A média diária da incidência de novos casos aumentou 0,6% e a do número de óbitos reduziu 1,5%, em relação à semana anterior;

  • A taxa de letalidade caiu de 3% para 2,6%;

  • O boletim indica um avanço lento da vacinação, com uma média de 1 milhão de doses aplicadas por dia, sendo que o SUS pode chegar a 2 milhões de doses/dia.

Fonte: G1

4 visualizações0 comentário