Aumento do pênis: cirurgia pode até dar volume na sunga, mas não muda tamanho da ereção; veja riscos


13 centímetros: esse é o tamanho médio do pênis ereto, segundo estudos e especialistas. Mesmo assim, alguns homens que têm a medida "padrão" ainda se sentem incomodados com o tamanho do pênis e veem na cirurgia do aumento peniano uma alternativa para melhorar a autoestima.

Entretanto, antes de se submeter a esse procedimento, o homem precisa entender realmente se o tamanho é um problema estético ou funcional.

"A gente vive numa sociedade falocêntrica, que liga o tamanho do pênis ao poder, símbolo de fecundidade. O homem acaba se comparando com atores pornôs, com um tipo de genitália totalmente fora dos padrões”, explica o urologista Ubirajara Barroso Jr., especialista em reconstrução genital e chefe de cirurgia reconstrutiva de uretra do Hospital da Universidade Federal da Bahia.

Abaixo, nesta reportagem, você vai entender o que é a cirurgia do aumento de pênis, riscos e indicações:

  1. O que é a cirurgia?

  2. Quando ela é indicada?

  3. Resultados: existe um número estimado? Pode alterar minha ereção?

  4. Quem procura?

  5. Percepção x realidade

  6. A recuperação é tranquila?

  7. O que é o micropênis?

1. O que é a cirurgia? A cirurgia do aumento peniano voltou a ser palco de debate depois que o cantor Tiago, dupla sertaneja de Hugo, contou que se submeteu a uma faloplastia em julho. A técnica não é nova. Nela, o homem pode tanto aumentar o comprimento quanto a largura do pênis.

"A cirurgia oferece o aumento do pênis no estado flácido. São duas técnicas. Para o aumento, liberamos o ligamento. Já para a grossura, fazemos o enxerto de gordura", explica o cirurgião plástico Alexandre Nunes, membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP).

Para aumentar a largura, o médico retira a gordura dos flancos, barriga, pernas e injeta no pênis para dar mais volume. Já para aumentar o tamanho, o médico corta o ligamento que liga o pênis ao osso público. Dessa forma, o órgão cai mais e parece maior.

O cirurgião alerta que, logo após a cirurgia de enxerto, há uma perda de 30% da gordura. Ele também explica que a técnica não dura para sempre.

Sobre impotência pós-cirurgia, Nunes diz que a técnica é feita na área externa do pênis. "O enxerto não atua em áreas que passam nervos, vasos, responsáveis pela ereção. Ele ocorre em uma área externa aos corpos cavernosos e esponjosos. Não fazemos nada dentro do pênis." 2. Quando a cirurgia é indicada? O aumento peniano é indicado para quem tem algum problema, como má formação e micropênis, casos onde o tamanho aparente é menor do que o tamanho e real e situações em que o indivíduo teve o pênis amputado por trauma ou cirurgias, como as oncológicas. "Em algumas situações, que tem a ver com estética, a cirurgia pode estar indicada, porque modifica positivamente a aparência do órgão e é direito do homem que ele possa ter essa percepção melhorada", explica Ubirajara Barroso Jr. Ele dá como exemplo casos onde o pênis fica mais embutido no períneo do que o habitual. "Nesses casos, você pode deixar o pênis aparente com procedimento cirúrgico". 3. Resultados: existe um número estimado? Pode alterar minha ereção? Segundo o cirurgião plástico, não é possível prometer números para o paciente. "Não estipulamos um número previamente. É impossível eu dizer quanto o pênis vai aumentar."

Nunes também explica que a cirurgia de aumento peniano não altera a ereção. "A ereção do pênis não depende do ligamento. Ela depende do estímulo e da boa função do sistema circulatório. O estímulo, o desejo, eles precisam estar presentes para uma ereção completa". 4. A recuperação é tranquila? A recuperação costuma ser rápida. Segundo o médico cirurgião, o paciente pode ir embora no mesmo dia.

"Tem o inchaço, o trauma. Eu peço que o paciente fique em repouso por quatro dias. O sexo só deve ser retomado um mês depois. Masturbação e sexo oral são liberados a partir do 21º dia", explica Alexandre Nunes. 5. Quem procura? Segundo Barroso, a maior parte dos homens que procura esse tipo de procedimento tem o pênis absolutamente normal. "Geralmente, essas pessoas que procuram, que tem a genitália normal, elas se enquadram num grupo de alterações psicológicas. Há um certo dismorfismo corporal que deve ser resolvido não com cirurgia, mas com orientações e acompanhamento psicológico", diz o urologista. No consultório do cirurgião plástico, esse também é o perfil mais comum. "Quando converso com o paciente, ele conta que sempre teve complexo, que não tem coragem de urinar perto das pessoas, não tem coragem de usar sunga. Essa realidade é para ele, porque às vezes ele tem um pênis normal. É um paciente que se incomoda com o tamanho do pênis flácido", diz Nunes. O cirurgião reforça que a técnica altera o pênis no estado flácido, não no ereto. "Se o paciente tem um pênis de 11 cm e quer virar 20 cm, isso é impossível. Essa técnica não existe." 6. Percepção x realidade Para o urologista, o homem tende a superestimar o tamanho do pênis. A média é de 13 centímetros ereto. Por isso, o primeiro passo é identificar se você realmente precisa da cirurgia. "A primeira coisa é o homem entender que o pênis dele está na média. Nesses casos, qualquer procedimento será desnecessário, porque ele tem um pênis normal, é a percepção do corpo", alerta Barroso.

"É importante que, antes de qualquer decisão, se converse com o paciente. É a consulta que eu mais demoro no meu consultório. Tento ao máximo dissuadir de uma decisão intempestiva. É essencial identificar se a pessoa tem um grau de ansiedade ou dismorfismo corporal. Nesse caso, a cirurgia vai ser um desastre, porque você não vai conseguir dar ao homem um pênis de ator pornô", completa o urologista.

Alexandre Nunes concorda. Para ele, o paciente precisa entender que o tamanho não é o mais importante.

"É possível ter uma vida normal, mesmo com o pênis pequeno. Ele quer ter uma satisfação maior, ficar nu no banheiro, perto de alguém? Ele pode recorrer à cirurgia. Mas é importante o homem entender o que ele quer da imagem dele próprio. Não quero que um adolescente imaturo, sem experiência sexual, fique preocupado com o tamanho. Isso não pode acontecer", diz o cirurgião. "Em consultas eu quero entender se o paciente tem a ereção no tempo que ele deseja, se ele tem uma ejaculação na hora que deseja. A cirurgia não vai mudar isso. Ele vai continuar com essa situação. Se você tem um problema, procure um urologista, um psicólogo para entender o seu grau de ansiedade" - Alexandre Nunes. 7. O que é o micropênis? Um órgão menor que 7 centímetros em ereção é considerado micropênis. Essa condição está relacionada, geralmente, à uma alteração hormonal. Homens com micropênis podem se beneficiar de cirurgias de alongamento peniano.

O urologista reforça que essa medição deve ser feita no pênis ereto. "Quando dizemos que a média é 13 centímetros, é em cima do pênis ereto, não é ele flácido. Um pênis flácido pode medir 7 centímetros e ser normal".


Fonte: G1

10 visualizações0 comentário