Aprender piano aos 60 anos reduz risco de demência, diz estudo



Pessoas que aprendem a tocar piano depois dos 60 anos correm menos risco de desenvolver demência, segundo mostra um estudo realizado por pesquisadores da Universidade de Genebra, na Suíça, e da Hannover Medical School, na Alemanha.


Estudos anteriores já tinham trazido evidências de que tocar um instrumento pode oferecer benefícios para a saúde cerebral. O novo estudo, publicado na revista Frontiers in Aging Neuroscience, mostra que mesmo pessoas que nunca tocaram um instrumento antes podem colher vantagens caso se dediquem à prática.


A pesquisa contou com a participação de 121 idosos saudáveis, com idades entre 60 e 70 anos, que nunca haviam tocado um instrumento. A metade deles teve aulas semanais de piano, com duração de uma hora, por seis meses.


Os voluntários foram instruídos a praticar o instrumento em casa por pelo menos meia hora todos os dias. A outra metade assistiu a apresentações semanais de diferentes tipos de gêneros musicais, mas não pode tocar, cantar ou bater palmas nesse período.


Os pesquisadores compararam as imagens dos cérebro dos participantes feitas antes e depois do experimento para medir mudanças em substância branca, que naturalmente diminui com a idade e desempenha um papel importante na cognição e na memória.


Os praticantes das aulas de piano perderam pouco ou nada dessa substância branca, o que sugere que não houve declínio na função cerebral. O outro grupo, no entanto, teve uma redução significativa da densidade da substância branca, mostrando maior risco de desenvolver demência e outros problemas de memória.

“Essas descobertas não apenas fornecem mais evidências para o envolvimento do fórnix (parte do cérebro onde a substância está concentrada) na codificação da memória episódica, mas também mostram que aprender a tocar piano em uma idade avançada pode estabilizar a microestrutura da substância branca do fórnix”, escreveram os autores do estudo.

Os benefícios, de acordo com os pesquisadores, parecem estar relacionados à intensidade do treinamento do piano. Ou seja, para obter os resultados, os alunos precisam se comprometer com a prática.


Fonte: Metrópoles

1 visualização0 comentário