top of page

Amamentar por mais de 6 meses pode prevenir a obesidade infantil



As principais diretrizes de saúde recomendam a amamentação exclusiva para crianças de até seis meses de idade. No entanto, é consenso entre especialistas que a prática pode - e deve - ser mantida por mais tempo, mesmo quando a criança já começa a se comer alimentos sólidos.


A evidência mais recente sobre os benefícios da amamentação prolongada mostra que amamentar crianças por mais de seis meses pode fazer com que tenham menos gordura corporal aos nove anos de idade.


Pesquisadores do Anschutz Medical Campus da Universidade do Colorado analisaram dados de mais de 700 pares de mães e filhos que participaram do estudo Healthy Start, que avalia como o estilo de vida e o ambiente da mãe durante a gravidez podem influenciar o crescimento e desenvolvimento da criança.


A idade média das mães era de 29 anos e 51% dos bebês eram do sexo masculino. Durante as entrevistas realizadas quando seus filhos tinham seis e 18 meses de idade, respectivamente, as mães forneceram detalhes sobre suas práticas alimentares. Isto incluiu a duração da amamentação, quando introduziram a fórmula e a idade em que começaram a dar aos filhos alimentos complementares e refrigerantes.


A maioria dos bebês (65%) foi amamentada por pelo menos seis meses. Quase três quartos (73%) começaram a consumir alimentos complementares aos cinco meses ou mais tarde, e mais de quatro quintos (86%) experimentaram refrigerantes pela primeira vez após 18 meses.


Os pesquisadores avaliaram o percentual de gordura corporal das crianças duas vezes durante o estudo, primeiro com uma idade média de cinco anos e depois aos nove. Os resultados, apresentados na Reunião Anual da Associação Europeia para o Estudo do Diabetes (EASD), realizada na Alemanhã, revelam que as crianças amamentadas durante seis meses ou mais tiveram uma percentagem de gordura corporal significativamente menor quase nove anos mais tarde, em comparação com aquelas que foram amamentadas por períodos mais curtos ou não amamentadas.


Da mesma forma, as crianças que não consumiram bebidas açucaradas até depois dos 18 meses apresentaram menor massa gorda aos nove anos.


Aos nove anos de idade, as crianças que foram amamentados durante menos de seis meses apresentavam 3,5% mais gordura corporal do que aqueles amamentados durante mais tempo.


Da mesma forma, aqueles que consumiram refrigerantes antes dos 18 meses tinham cerca de 7,8% mais gordura corporal aos nove anos do que aqueles que consumiram essas bebidas pela primeira vez aos 18 meses ou mais tarde.


“As nossas descobertas somam-se a um conjunto maior de evidências que apoiam os potenciais benefícios da amamentação para a saúde, tanto para as mães como para os seus filhos. Além disso, enfatiza a importância de adiar a introdução de uma criança ao refrigerante, uma bebida com alto teor calórico e sem mérito nutricional”, diz Catherine Cohen, pesquisadora principal do estudo da Universidade do Colorado, em comunicado.


Fonte: O Globo

3 visualizações0 comentário

Comentarios


bottom of page