Alunos de escola homenageiam profissionais da saúde com cartas e desenhos no interior de SP


Profissionais da saúde da Santa Casa de Sorocaba (SP) receberam homenagens que chegaram em forma de cartas e desenhos feitos por alunos de uma escola da cidade.


Foi assim que Mariana Lima Segal, de seis anos, mostrou como vê os profissionais da saúde. No desenho dela tem um super médico acabando com o coronavírus. "Esse é um médico borrifando álcool em gel no corona, porque eles estão ajudando a matar os coronas, são os inventores da vacina e estão salvando todo mundo", conta. Ana Clara Fonseca dos Santos, de cinco anos, também quis se aproximar dos profissionais. No papel, ela se passa por paciente dentro de um hospital. "É uma médica e eu. Eu acho que ela trabalhou bastante, porque ela ajuda as pessoas." A coordenadora da escola, Aline Mesquita, comenta que a unidade toda participou do projeto escrevendo e desenhando para médicos, enfermeiros e técnicos da Santa Casa.

"Nós trabalhamos o projeto a partir das crianças de quatro anos até os alunos do 5º ano, com 11 anos. Então, a escola toda esteve mobilizada em ajudar e trazer esse acalento, essa questão emocional para os profissionais da saúde nesse momento." Quando as cartinhas chegaram aos destinatários foi uma grande emoção no meio do plantão no setor Covid.

"Meu nome é Murilo, tenho oito anos de idade e gostaria de agradecer pelo seu trabalho. Vocês são pessoas especiais e incríveis", dizia uma das mensagens. A coordenadora do setor Covid da Santa Casa, Daniela Azevedo Serrão, conta que todos ficaram motivados. "A gente fica meio emotivo lá dentro né, com tudo que a gente vive, que a gente passa e, quando a gente recebe e vê um gesto assim, a gente fica bem emocionado. Teve funcionário que colou na UTI para os outros verem e motivar a equipe a ler que realmente a gente faz a diferença." Eduarda escreveu para a técnica de enfermagem Camila Souza. Ela só tem oito anos, mas, em poucas palavras, como quem está aprendendo as dificuldades do mundo, conseguiu mostrar para a profissional que, sim, ela faz muita diferença nesta luta.

"Querido profissional, meu nome é Eduarda, tenho oito anos de idade. Vocês são especiais para todos e ainda bem que vocês salvam as pessoas que pegam as doenças."

"Isso motiva a gente a continuar, com certeza. Saber que as pessoas lá fora estão desejando que a gente esteja bem para continuar fazendo o que a gente faz é muito bom", comenta a técnica de enfermagem.


Fonte: G1

1 visualização0 comentário