Alimentação pré e pós-treino: o que e quando comer para obter melhores resultados



A velha máxima popular de que "saco vazio não para em pé" é especialmente verdade quando se trata de atividade física. O que você leva à boca influencia diretamente como seu corpo irá tirar proveito dos exercícios. A alimentação fornece energia e ajuda a consolidar os benefícios, antes, durante e depois do treino.


Alimentação pré-treino


"Como se alimentar antes do treino? Essa é uma pergunta bem complexa, pois envolve algumas variáveis. Primeiro, que horas você irá treinar?", afirma Marcio Atalla.


Por exemplo, o treino acontecerá de manhã ou à tarde. Você tomou café às 8h e irá se exercitar às 10h ou almoçou às 13h e irá treinar às 16h, é necessário um complemento pré-treino? "Não, pois a sua digestão já está praticamente completa".


Porém, caso tenha se passado muito tempo desde a última refeição, será preciso comer algo antes do início da atividade.


Aqui vão algumas dicas:


Faça uma refeição leve


A alimentação pré-treino não deve ser rica em calorias. "O processo de absorção dos alimentos, de digestão, acontece nas horas após a alimentação. Aí, se for treinar nesses momentos, o fluxo sangue se concentrará nos músculos que estão sendo trabalhados, dificultando o processo de digestão".


Privilegie os carboidratos


Independente se treino será de força ou aeróbico, evite a ingestão de proteínas e gorduras em excesso antes dos exercícios, que tornam mais lenta ou dificultam a digestão.


No caso de atividades aeróbicas, o corpo precisa ter à disposição uma grande quantidade de energia para gastar. Os carboidratos aumentam o estoque disponível para esse dispêndio.


Muitos suplementos pré-treino fornecem carboidratos de rápida absorção. Sucos e frutas ou um sanduíche com alguma proteína para balancear, como o queijo, também são boas opções.


Alimentação pós-treino


"Esse é o momento que o corpo estará em uma janela boa para obter os ganhos do esforço, do 'dano' causado durante o treino. Durante a atividade física, ocorre o desgaste, o catabolismo, como o pessoal gosta de dizer e, por meio da alimentação, você irá 'construir'", explica Atalla.

Portanto, a alimentação pós treino deve ter todos os macronutrientes:


Gorduras: alguns tipos de vitaminas só são absorvidos na presença dela.

Dê preferência às opções saudáveis, como o abacate, que, além de tudo, ainda ajudam a regular os níveis de colesterol no organismo.


Proteínas: se o treino foi de força, ingira de 25 a 30 gramas do nutriente na refeição pós-treino.

Carboidratos.

"Mas o mais importante na alimentação pós-treino, via de regra, é ela ser completa", afirma Atalla.


Suplementos são necessários?


Na maioria dos casos, as dicas acima já são suficientes para garantir uma boa alimentação para a prática de atividades físicas.


Porém, quem tem necessidades específicas e busca a suplementação para melhorar sua performance, deve procurar um profissional, que irá prescrever dieta ou suplementos adequados.


"Poucas pessoas irão precisar realmente desses suplementos, se tiverem uma alimentação bacana. Isso já basta para ter todos os ganhos do exercício. O resultado é proporcional ao esforço, não há fórmula mágica", alerta Atalla.


Fonte: Terra

4 visualizações0 comentário

© 2020 Portal Saúde Agora. Tudo sobre SAÚDE em um só lugar!

  • Instagram