Agachamento é o exercício mais completo para o corpo. Saiba por que



O agachamento está entre os exercícios mais indicados pelos profissionais de educação física para os alunos que desejam fortalecer pernas e glúteos. Mas os benefícios vão além disso, o exercício é considerado o mais completo para o corpo como um todo e a chave para envelhecer bem.


O movimento funcional fortalece os tornozelos, os joelhos, o quadril, a lombar e as costas e ainda estimula a flexibilidade e o equilíbrio. Os benefícios são percebidos nas atividades do dia a dia, como sentar e levantar e apanhar objetos no chão, por exemplo.


“Com o passar da idade, as pessoas tendem a perder a mobilidade e a sofrer a sarcopenia – perda da massa muscular. Quem tem massa muscular nas regiões onde o agachamento atua têm mais força nas pernas e tornozelos. Consequentemente, sofre menos quedas e lesões no dia a dia”, explica a professora de educação física Lana Pessoa, treinadora do aplicativo Queima Diária.

Além disso, o exercício é muito simples e pode ser feito em qualquer lugar. Para os iniciantes, o peso do próprio corpo é suficiente para sentir os resultados em casa. Ele pode ser realizado com o auxílio de uma cadeira e, posteriormente, com a inclusão de halteres.


Como começar?


Lana recomenda que os alunos comecem sentando e levantando de uma cadeira alta. Quando o exercício se tornar fácil, é importante mudar para uma cadeira mais baixa e, em seguida para um banco ainda mais baixo, até se sentir confortável e forte para fazer o agachamento sem apoio.


O grau de dificuldade pode aumentar adicionando carga, agilidade na velocidade de execução, número de repetições e amplitude – descendo mais.


Três erros comuns


A professora destaca que, embora o exercício seja indicado por acionar toda a musculatura de força, flexibilidade e mobilidade, na prática, a maioria das pessoas não consegue realizá-lo corretamente, de maneira eficiente.


Os três erros mais comuns são: jogar o tronco para frente enquanto se agacha, fechar os joelhos e levantar os calcanhares.


“Muitos alunos não conseguem realizá-lo de forma realmente eficiente. Uma prova de que realizam o movimento erradamente é que sentem mais dor nas pernas após o exercício e não conseguem sentir nos glúteos”, avalia.


“Assim como para qualquer exercício, é muito importante ter consciência dos músculos que estão sendo usados para jogar energia para eles. Desça devagar e suba contraindo o bumbum”.


Fonte: Metrópoles

7 visualizações0 comentário