top of page

Acupuntura está entre as formas de tratar a dependência química



De acordo com definição da Organização Mundial da Saúde (OMS), a dependência química (drogas lícitas ou ilícitas) é uma doença. Por isso, o uso indevido de substâncias como álcool, cigarro, crack e cocaína é um problema de saúde pública de ordem internacional. O Ministério da Saúde destaca que esta é uma questão que preocupa nações do mundo inteiro, pois afeta valores culturais, sociais, econômicos e políticos. Nesse contexto, encontrar formas de tratar o vício é fundamental - e a acupuntura pode ser uma aliada.

A acupuntura faz parte da medicina milenar chinesa e hoje compõe a medicina integrativa, que inclui técnicas ocidentais. Em 1995, o Conselho Federal de Medicina (CFM) a reconheceu como uma especialidade médica.


Acupuntura


O Dr. Alexandre Massao, médico acupunturista e diretor de ensino do Colégio Médico de Acupuntura de SP (CMAeSP), explica que o objetivo é pontuar pontos específicos do corpo, com o intuito promover equilíbrio e bem-estar. Os estímulos podem ser feitos com agulhas bem fininhas, laser e calor local, como moxaterapia ou ventosas. Ao serem estimulados, esses pontos liberam endógenas naturais, por exemplo a endorfina, serotonina e a dopamina.


Dentro da medicina integrativa, a acupuntura é muito utilizada como uma forma de reduzir o uso de medicamentos, que geralmente causam diversos efeitos colaterais. A técnica, no entanto, praticamente não causa sequelas. "Quando ela ocorre, pode acontecer um pequeno hematoma no local, mas é um efeito colateral que não prejudica ou não limita o paciente após a aplicação da acupuntura", afirma o Dr. Alexandre.


Tratamento de dependência química


O médico aponta que a acupuntura pode ajudar na dependência química, principalmente no tratamento do tabagismo. "Mas é importante salientar que não existe nenhum ponto milagroso em que se aplique que o paciente automaticamente pare de fumar. É preciso mudar os hábitos", destaca.


De acordo com ele, a técnica ajuda a aliviar os sintomas de abstinência, especialmente ansiedade, e também ajuda a relaxar. Além disso, dentre as substâncias liberadas pela acupuntura, a endorfina é a que mais pode ajudar, já que ela age diretamente na diminuição da vontade do vício.


A questão do alcoolismo segue o mesmo mecanismo, explica Alexandre. "A acupuntura ajuda a liberar substâncias químicas naturais do corpo para reduzir essa vontade do vício, e principalmente a reduzir os sintomas de abstinência, seja no cigarro ou seja na bebida. Obviamente, se o paciente ficar calmo, mais relaxado, essas compulsões também podem diminuir", destaca.


Além disso, o acupunturista destaca que para tratar a dependência química, em alguns casos, é indicado fazer aplicações diárias, até o paciente sair dessa crise maior de ansiedade e compulsão, e essa sensação de abstinência. Conforme o paciente tem mais controle do seu quadro, é possível diminuir o tratamento para duas ou três vezes por semana. O Dr. Alexandre reforça que a acupuntura não é milagrosa, e por isso é preciso mudar também certos hábitos.


Acupuntura tem contraindicação?


Não existe nenhuma contraindicação absoluta em relação à acupuntura, destaca o médico. "Algumas pessoas têm muito medo, então isso acaba atrapalhando o paciente a procurar esse tipo de tratamento. Mas normalmente esse medo diminui muito, ou some, quando os pacientes experimentam a primeira sessão de acupuntura", afirma Alexandre.


De acordo com o profissional, isso ocorre porque as agulhas são extremamente finas, e têm praticamente o dobro da espessura de um fio de cabelo - entre 0,25 ou 0,20 milímetros de diâmetro. "Então, em geral o paciente não sente nada na aplicação das agulhas, ou uma dor leve e que é muito suportável", comenta.


Ele acrescenta ainda que os pacientes que tomam anticoagulantes devem avisar o médico que vai aplicar a acupuntura. Isso porque, no momento em que tira as agulhas, há chances de ficar com hematomas. "Mas isso não contraindica a aplicação das agulhas", destaca.


Fonte: Terra

6 visualizações0 comentário

Kommentare


bottom of page