Índia bate recorde mundial de casos de Covid pelo 5º dia seguido


 
 

Cinco dias, cinco tristes recordes: a Índia registrou 352.991 casos de Covid-19 nesta segunda-feira (26) e voltou a superar, pelo 5º dia seguido, a marca de maior número diário de infectados do mundo.


O país, que vive o seu pior momento da pandemia, também registrou 2.812 novas mortes e voltou a passar o Brasil como a nação com mais vítimas do novo coronavírus em um dia.

Foi o 13º dia de alta no número de óbitos e o 6º recorde seguido do país, que passou de 195 mil mortes e 17,3 milhões de casos confirmados, segundo dados do governo indiano.

A Índia vive uma explosão no número de infecções e um colapso em hospitais, com pessoas morrendo na fila por um leito e sofrendo com falta de remédios e oxigênio.

Na capital Nova Délhi, cremações em massa são feitas para dar conta do número de vítimas do novo coronavírus. Censura no Twitter Em meio ao pior momento da pandemia, a Índia pediu ao Twitter que tire do ar dezenas de posts que critiquem o governo indiano — inclusive alguns feitos por parlamentares locais.

A solicitação foi parcialmente atendida, e uma porta-voz da rede social ouvida pela agência de notícias Reuters confirmou que alguns tuítes foram tirados do ar devido a um "pedido legal". O Twitter diz ser obrigado a cumprir a solicitação. As autoridades indianas usam a Lei de Informação Tecnológica de 2000 do país, que tem uma cláusula sobre a "proteção da soberania e da integridade da Índia". O governo indiano atribui a explosão de casos ao não uso de máscaras e ao desrespeito ao distanciamento social.

Especialistas apontam como causas também uma nova variante e o próprio governo, que comemorou a "fase final" da pandemia em março e tem se recusado a adotar um lockdown nacional. Ajuda internacional Estados Unidos, Reino Unido e Alemanha se comprometeram a enviar ajuda ao país, como insumos para produção de vacinas, equipamentos médicos e equipamentos de proteção.

Em entrevista ao Hora 1, o embaixador do Brasil na Índia, André Aranha Corrêa do Lago, afirma acreditar que a grave situação do país inviabiliza uma possível exportação de vacinas.

Lago diz também que a nova onda da Covid-19 afetou os trabalhos da embaixada brasileira. Dois diplomatas e alguns funcionários estão com suspeita de infecção e aguardam o resultado dos testes. Um caso já foi confirmado.

Fonte: G1

6 visualizações0 comentário